logo
/ NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS / NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS
Estilo de Vida 08/06/2021

Divulgadas as primeiras imagens impressionantes captadas pela nave Juno da NASA durante sobrevoo a lua gigante de Júpiter

Espaçonave capturou quase um lado inteiro da lua incrustada de gelo de água.

Por : Metro World News

Foram divulgadas as primeiras imagens impressionantes captadas pela nave Juno da Agência Espacial Americana (NASA) durante sobrevoo a lua gigante Ganimedes de Júpiter.

Como revelado, por meio de comunicado, as fotos – uma do gerador de imagens JunoCam do orbitador de Júpiter e a outra da câmera estelar da Unidade de Referência Estelar – mostram a superfície em detalhes notáveis, incluindo crateras, terreno escuro e claro claramente distinto e longas características estruturais possivelmente ligadas a falhas tectônicas.

“Este é o mais próximo que uma espaçonave chegou a esta lua gigantesca em uma geração”, disse o investigador principal da Juno, Scott Bolton, do Southwest Research Institute, em San Antonio.

 “Vamos levar nosso tempo antes de tirar qualquer conclusão científica, mas até então podemos simplesmente nos maravilhar com esta maravilha celestial – a única lua em nosso sistema solar maior do que o planeta Mercúrio.”

Como revelado pela NASA, usando seu filtro verde, o gerador de imagens de luz visível JunoCam da espaçonave capturou quase um lado inteiro da lua incrustada de gelo de água. 

Imagens impressionantes captadas pela nave Juno durante sobrevoo a lua gigante de Júpiter

Mais tarde, quando as versões da mesma imagem forem lançadas incorporando os filtros vermelho e azul da câmera, os especialistas em imagens poderão fornecer um retrato colorido de Ganimedes. A resolução da imagem é de cerca de 0,6 milhas (1 quilômetro) por pixel.

Além disso, a Unidade de Referência Estelar de Juno, uma câmera de navegação que mantém a espaçonave em curso, forneceu uma imagem em preto e branco do lado escuro de Ganimedes (o lado oposto ao Sol) banhado em luz fraca espalhada por Júpiter. A resolução da imagem está entre 0,37 a 0,56 milhas (600 a 900 metros) por pixel.

“As condições em que coletamos a imagem do lado escuro de Ganimedes eram ideais para uma câmera de pouca luz como nossa Unidade de Referência Estelar”, disse Heidi Becker, chefe de monitoramento de radiação da Juno no JPL. “

Portanto, esta é uma parte diferente da superfície do que a vista pela JunoCam sob a luz solar direta. Vai ser divertido ver o que as duas equipes podem juntar”.

Como revelado pela NASA, nesta semana, a espaçonave enviará mais imagens de seu sobrevôo de Ganimedes nos próximos dias.

Espera-se que o encontro da espaçonave movida a energia solar com a lua de Júpiter produza percepções sobre sua composição, ionosfera, magnetosfera e camada de gelo, ao mesmo tempo que fornece medições do ambiente de radiação que beneficiarão futuras missões para o sistema de Júpiter.

Importante missão da NASA

JPL, uma divisão da Caltech em Pasadena, Califórnia, gerencia a missão Juno para o investigador principal, Scott J. Bolton, do Southwest Research Institute em San Antonio. 

Juno faz parte do Programa de Novas Fronteiras da NASA, que é administrado no Marshall Space Flight Center da NASA em Huntsville, Alabama, para o Diretório de Missões Científicas da agência em Washington. 

Ainda de acordo com as informações, a Lockheed Martin Space em Denver construiu e opera a espaçonave. Confira imagens: 

Com informações da NASA

LEIA TAMBÉM: