Estilo de Vida

NASA transforma informações captadas no espaço em áudio e resultado ‘macabro’ é impressionante

O resultado impressionante foi compartilhado nesta semana por meio de comunicado.

NASA transforma informações captadas no espaço em áudio e resultado ‘macabro’ é impressionante

Dados obtidos pela Agência Especial Americana (NASA) no espaço foram transformados em sons de estrelas, galáxias e buracos negros. O resultado impressionante foi compartilhado nesta semana por meio de comunicado.

A última parcela da série de sonificação de dados apresenta três cenas cósmicas diversas. Em cada um, os dados astronômicos coletados pelo Observatório de Raios-X Chandra da NASA e outros telescópios são convertidos em sons.

Como revelado, a sonificação de dados mapeia os dados desses telescópios baseados no espaço em uma forma que os usuários podem ouvir em vez de apenas ver, incorporando os dados em uma nova forma sem alterar o conteúdo original. Confira:

Chandra Deep Field

Esta é a imagem mais profunda já obtida em raios-X, representando mais de sete milhões de segundos de tempo de observação do Chandra.

Por essa razão, o campo observado também está no hemisfério sul, os astrônomos chamam essa região de «Chandra Deep Field South».

À primeira vista, esta imagem pode parecer uma visão de estrelas. Em vez disso, quase todos esses pontos de cores diferentes são buracos negros ou galáxias. A maioria dos primeiros são buracos negros supermassivos que residem no centro das galáxias.

  1. CONFIRA MAIS:
  2. Sonda espacial revela mistério por trás de grande fenômeno do planeta Júpiter
  3. Imagens sensíveis: vídeo impressionante registra momento em que 4 pessoas são atingidas por um raio na Índia
  4. O maior de 2021: Agência Espacial emite alerta sobre gigante asteroide ‘2001 FO32’ que passará próximo à Terra

Conforme revelado pela NASA, nesta sonificação de dados, as cores ditam os tons conforme a barra se move da parte inferior da imagem para o topo.

Mais especificamente, as cores em direção à extremidade vermelha do arco-íris são ouvidas como tons baixos, enquanto as cores em direção ao roxo são atribuídas a tons mais altos.

A luz que aparece em um branco brilhante na imagem é ouvida como ruído branco. A ampla gama de frequências musicais representa a gama completa de frequências de raios-X coletadas pelo Chandra desta região.

Conforme revelado pela NASA, na imagem visual colorida, esta grande faixa de frequência em raios-X teve que ser comprimida para ser mostrada em vermelho, verde e azul para raios-X de baixa, média e alta energia. Tocado como som, no entanto, toda a gama de dados pode ser experimentada.

Conforme a peça varre para cima, a posição estéreo dos sons pode ajudar a distinguir a posição das fontes da esquerda para a direita. Confira:

Nebulosa Olho de Gato

Quando uma estrela como o Sol começa a ficar sem hélio para queimar, ela expele enormes nuvens de gás e poeira. Essas explosões podem formar estruturas espetaculares, como a vista na nebulosa Olho de Gato.

Esta imagem do Olho de Gato contém os raios X do Chandra ao redor do centro e dados de luz visível do Telescópio Espacial Hubble, que mostram a série de bolhas expelidas pela estrela ao longo do tempo.

Para ouvir esses dados, há uma varredura semelhante a um radar que se move no sentido horário, emanando do ponto central para produzir o tom.

Conforme revelado pela NASA, a luz que está mais longe do centro é ouvida em tons mais altos, enquanto a luz mais brilhante é mais alta.

Os raios X são representados por um som mais áspero, enquanto os dados de luz visível têm um som mais suave.

  1. CONFIRA:
  2. Agência Espacial enviará robô móvel ao polo sul da Lua para identificar concentração de gelo
  3. Telescópio Hubble capta ‘imagem macabra’ no espaço
  4. Com super tecnologia, microfone especial da Agência Espacial detecta turbulência a centenas de quilômetros de distância
  5. Divulgada as melhores imagens da Terra tiradas por astronautas desde o espaço

Os anéis circulares criam um zumbido constante, interrompido por alguns sons de raios nos dados.

Messier 51 – NASA

Messier 51 (M51) é talvez mais conhecido por seu apelido de Galáxia Whirlpool já que sua orientação de face para a Terra revela seus braços espirais enrolados.

Conforme revelado pela NASA, isso dá aos telescópios uma visão de outra galáxia espiral semelhante à nossa Via Láctea, cuja estrutura não podemos observar diretamente de nossa posição dentro dela.

Tal como acontece com o Olho de Gato, a sonificação começa no topo e se move radialmente ao redor da imagem no sentido horário.

O raio é mapeado para notas de uma escala menor melódica. Cada comprimento de onda de luz na imagem obtida dos telescópios da NASA no espaço (infravermelho, óptico, ultravioleta e raio-X) é atribuído a uma faixa de frequência diferente.

Conforme revelado pela NASA, a sequência começa com sons de todos os quatro tipos de luz, mas depois se move separadamente pelos dados de Spitzer, Hubble, GALEX e Chandra.

Em comprimentos de onda em que os braços espirais são proeminentes, os arremessos sobem à medida que a espiral chega mais longe do núcleo.

Um zumbido baixo constante associado ao núcleo brilhante pode ser ouvido, pontuado por sons curtos de fontes compactas de luz dentro da galáxia. Resultado assustador:

Texto com informações da NASA

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos