Social

‘Isso é o que as pessoas costumam dizer pouco antes de morrer’, revela enfermeira

Após mais de cinco anos trabalhando em uma casa de cuidados paliativos, a enfermeira compartilhou suas experiências nas redes sociais.

Julie é enfermeira especializada em cuidados de pacientes terminais

Julie McFadden, uma enfermeira de Los Angeles, está utilizando seu TikTok para compartilhar suas experiências como enfermeira de pacientes terminais.

Conforme publicação realizada pelo The Mirror, ela utiliza as redes sociais para conscientizar as pessoas sobre como lidar com a morte.

Ela explica: “A melhor parte do meu trabalho é educar os pacientes e suas família sobre a morte e o morrer, além de apoiá-los emocional e fisicamente. Além disso, ajudá-los a entender o que esperar é outra parte do meu trabalho em uma casa de cuidados paliativos”.

“Há algo que a maioria das pessoas diz antes de morrer e geralmente é ‘Eu te amo’ ou eles chamam por seus pais, que geralmente já morreram”, revelou a enfermeira quando questionada sobre os momentos finais de uma pessoa.

Ela auxilia pacientes e familiares a passar por este momento delicado

Além de compartilhar o desejo do paciente em se despedir ou se encontrar com familiares, Julie também listou alguns sinais que são “aparentemente normais” a medida que um paciente se aproxima de seu adeus. A lista inclui desde mudanças na respiração e tonalidade da pele até a presença de ‘secreções terminais’ e febres sem explicação aparente.

“Os sintomas da fase de morte ativa incluem alterações na inconsciência, na respiração, a presença de manchas e secreções terminais. Eles são normais e não são dolorosos ou desconfortáveis. Nossos corpos cuidam de nós mesmo no final da vida, quanto menos intervenção, melhor”, explicou a enfermeira.

Confira também:

Ela ainda declarou estar feliz com a possibilidade de educar as pessoas a respeito da morte e poder, desta forma, dar apoio aos seus familiares.

“Quero normalizar a morte, educando as pessoas sobre isso. Fui para casa ver minha família e minhas sobrinhas adolescentes faziam vídeos de dança no TikTok, isso me deu a ideia de começar meu próprio perfil sobre a morte e o morrer. Em quatro dias o perfil decolou”, conta Julie.

Em seis meses de postagens, a enfermeira já possui mais de 340 mil seguidores.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos