logo
Clonagem de WhatsApp vitimiza cerca de 15 mil brasileiros por dia. Mais de 5 milhões de usuários foram vítimas do golpe no ano passado no Brasil.

De acordo com o dfndr lab, laboratório de cibersegurança da PSafe, os golpes financeiros continuam no topo da lista de golpes mais frequentes durante a pandemia.

Conforme relatado, por meio de comunicado, foram registradas mais de 1,6 milhões de detecções em 2021, somente no Brasil, o que representa uma média de mais de 17 mil ataques ao dia.

Os cibercriminosos costumam utilizar os dados pessoais obtidos ilicitamente para criação de golpes de phishing.

Na sequência, está a clonagem de WhatsApp, que segundo projeções do laboratório, vitimiza cerca de 15 mil brasileiros por dia. Veja:

Os temas mais utilizados pelos golpistas para atrair vítimas em ambos os golpes são: supostas promoções, falsas vagas de emprego e falso cadastramento em programas de auxílio do Governo.

De acordo com os especialistas do dfndr lab, os cibercriminosos costumam utilizar os dados pessoais obtidos ilicitamente para criação de golpes de phishing.

WhatsApp
Imago images/7aktuell via Reuters Connect

Especialmente se aproveitando de técnicas de engenharia social para acessar outras informações da vítima, como suas senhas, com as quais podem acessar indevidamente contas bancárias e contas em redes sociais.

De posse dessas informações, os atacantes podem fazer qualquer tipo de chantagem com a vítima ou até mesmo se passar por ela para enganar seus amigos e familiares, buscando obter algum lucro financeiro.

Com informações da PSafe

LEIA TAMBÉM: