logo
Foto: Reprodução Instagram @sussexroyal / Foto: Reprodução Instagram @sussexroyal /
Entretenimento 12/05/2021

Meghan Markle ganha indenização milionária. Entenda a polêmica que envolve o pai da Duquesa

Desde 2019, Meghan Markle mantém a briga na justiça britânica contra a editora Associated Newspapers, que foi obrigada a pagar US$ 625 mil dólares como indenização.

Desde 2019, a Duquesa de Sussex estava travando uma batalha nos tribunais britânicos contra a Associated Newspapers. 

Na última semana, Meghan Markle venceu em última instância a ação que movia contra a Associated Newspapers, editora dos jornal britânico Mail on Sunday e do portal de notícias Mail Online, pela publicação de uma carta escrita por ela a seu pai Thomas Markle. O tribunal considerou que a Duquesa de Sussex foi a única autora da carta “privada e confidencial” enviada a seu pai, enviada em agosto de 2018, três meses após o seu casamento com o príncipe Harry.

Desde que Meghan começou a namorar o Príncipe Harry, seu relacionamento com o pai piorou porque ele mantinha interação com a imprensa britânica, que se empenhava em divulgar polêmicas sobre a Duquesa antes de seu casamento. Até que em fevereiro, o pai de Meghan enviou uma carta dela ao Mail on Sunday, cujos trechos foram publicados.

Na carta, Meghan dizia estar profundamente entristecida com o pai e não entendia porque ele estava agindo daquela forma. “Por favor, permita-nos viver nossas vidas em paz. Por favor, pare de mentir, pare de causar tanta dor, pare de explorar meu relacionamento com meu marido”, escreveu Meghan.

Leia mais sobre a Família Real britânica:

A alegação da defesa

Os advogados da editora dos jornais haviam levantado a hipótese de que Meghan não seria a única autora da carta, mencionando que o texto poderia ter sido ajustado e reescrito pelo ex-chefe de comunicações do Palácio de Kensington, Jason Knauf. Mas a Suprema Corte de Londres não acolheu este argumento já que Knauf negou enfaticamente a sua co-redação em depoimento ao tribunal.

“O Sr. Knauf não redigiu, e nunca alegou ter redigido, nenhuma parte do esboço eletrônico ou da carta”, afirmaram os advogados de Meghan em documentos oficiais do tribunal divulgados na quarta-feira, acrescentando que a Duquesa de Sussex escreveu a carta usando o aplicativo Notes em seu iPhone “por volta da primeira semana de agosto de 2018.”

No entanto, os advogados de Meghan revelaram que ela havia sim compartilhado o teor da carta com o Príncipe Harry e com Jason Knauf para obter apoio, pois este foi um processo profundamente doloroso que eles viveram com ela e porque o Sr. Knauf era responsável por manter os membros mais antigos da Família Real informada de quaisquer questões voltadas para o público”.

Uma larga batalha na justiça

Desde 2019, Meghan Markle mantém a briga na justiça britânica contra a editora Associated Newspapers. Foi em setembro de 2019 que a Duquesa processou a editora pela primeira vez por haver publicado trechos de sua carta “privada e confidencial” em artigos publicados nos meios impressos e online em fevereiro de 2019.

No mesmo mês no qual a carta foi publicada, Meghan obteve a primeira vitória judicial contra a editora. Na época, o juiz da Suprema Corte, Mark Warby, decidiu que Meghan “tinha uma expectativa razoável de que o conteúdo da carta permaneceria privado”, acrescentando “Os artigos do Mail interferiram com essa expectativa”. O juiz determinou que o Mail não respeitou os direitos autorais da carta.

Em março de 2019, a Associated Newspapers foi obrigada a pagar US$ 625 mil dólares, aproximadamente R$ 3,22 milhões de reais, para Meghan como indenização. Mas essa decisão era somente uma parte do julgamento mais amplo que viria a seguir.

Além desse valor, a editora precisou desembolsar 100% dos estimados US$ 1,88 milhão dólares (aproximadamente R$ 9,8 milhões de reais) das despesas legais de Meghan pelo caso. Após a decisão definitiva e em última instância, a Associated Newspapers indicou que não se oporia ao julgamento.