logo

Ator inglês foi diagnosticado com tumor cerebral e morreu em casa, cercado pela família.

Nesta terça, 6, o mundo do entretenimento amanheceu em luto. O ator britânico Paul Ritter morreu vítima de um tumor cerebral. A representante legal do ator confirmou ao USA Today que ele faleceu em casa, rodeado por sua esposa e filhos. Através de um comunicado oficial, a morte do ator foi confirmada: “Ele morreu pacificamente em casa com sua esposa Polly e os filhos Frank e Noah ao seu lado. Ele tinha 54 anos e sofria de um tumor no cérebro”.

“Paul era um ator excepcionalmente talentoso, interpretando uma enorme variedade de papéis no palco e na tela com habilidade extraordinária. (…) Ele era extremamente inteligente, gentil e muito engraçado. Sentiremos muita falta dele”, finalizou o comunicado oficial.

Leia mais sobre filmes e séries:

Conhecido no Reino Unido principalmente por sua atuação na TV, o ator de teatro e de cinema teve uma participação no filme ‘Harry Potter e o Enigma do Príncipe’ interpretando Eldred Worple, um escritor bruxo que se oferece para escrever a biografia de Harry para ele. Em 2009, ele interpretou um aluno favorito do professor Horácio Slughorn (Jim Broadbent). O personagem estudou em Hogwarts, e mais tarde se tornou um escritor, se especializando na vida de vampiros e escrevendo o livro fictício ‘Irmãos de Sangue: Minha Vida Entre os Vampiros’. Em uma cena, Worple é visto conhecendo Harry Potter (Daniel Radcliffe) quando ele é convidado para uma festa de Natal organizada por Slughorn em Hogwarts, quando tenta convencer Harry a escrever uma autobiografia.

Um dos papéis mais recentes de Ritter foi como Anatoly Dyaltlov, na série da HBO ‘Chernobyl’, um vice-engenheiro-chefe levado a julgamento por causar o infame acidente nuclear de 1986. Mais recentemente, teve papel no seriado da tv britânica ‘Friday Night Dinner’, que durou de 2011 a 2020. Ele também interpretou um agente político em ‘Quantum of Solace’, o filme de 2008 de James Bond.

Declarações de luto

Robert Popper, roteirista, ator e produtor de comédia britânico compartilhou no jornal The Guardian: “Estou devastado com esta notícia terrivelmente triste. Paul era um ser humano adorável e maravilhoso. Gentil, engraçado, super atencioso e o melhor ator com quem já trabalhei”.

Toby Whithouse, que escreveu o thriller de espionagem ‘The Game’, no qual Ritter estrelou em 2014, disse: “Esta é uma notícia terrível e devastadora. Paul era um ator deslumbrante, um cara adorável e adorável. Que coisa horrível”.

O ator Mark Gatiss, roteirista das séries ‘Doctor Who’ e ‘Sherlock’ disse que ficou “triste” ao saber da morte de Ritter. “Paul Ritter. Que ator. Que presença. Tão chocado e triste com esta notícia horrível. RIP”, escreveu ele no Twitter.

Russell Tovey, ator britânico conhecido por seu papel de lobisomen em ‘Being Human’, disse que Ritter foi “um dos melhores e mais legais atores que você já conheceu”. “Tive o prazer absoluto de estar no palco na minha primeira peça com ele. Eu tinha 19 anos e ele me chamou de ‘plonker’ quando o deixei pendurado no palco uma vez por causa de uma deixa de entrada perdida. Eu nunca mais esqueci a fala e nunca fiz de novo. RIP.”, tuitou o ator.