Social

Madrasta é acusada de envenenar o enteado, apelidado por ela de Satanás

Uma madrasta está sendo acusada de envenenar seu enteado, ela confessou uma série de abusos contra a criança, que acabou não resistindo.

Foram descobertas mensagens de texto em que ela se referia ao menino como "Satanás".

Detalhes assombrosos foram revelados durante o julgamento de Emma Tustin. A mulher, de 31 anos, é acusada de espancar, torturar e envenenar com sal seu enteado de 6 anos, Arthur Labinjo-Hughes, o qual apelidou de Satanás.

Conforme notícia publicada pelo portal Meganoticias, tanto Emma quanto Thomas Hughes, pai de Arthur, se declararam inocentes quanto ao crime de homicídio.

Emma, por outro lado, admitiu as acusações referentes a crueldade infantil, mas negou as demais.

O julgamento da mulher teve início em 9 de novembro. Ela declarou ao júri que seu enteado a “amava” e contou que se tornaram amigos assim que se conheceram.

Ela ainda acusou o pai do menino, com quem se relacionava, de se comportar de forma violenta com o filho, sendo que em um dos episódios ele teria ameaçado jogar a criança pela janela.

Ela confessou se referir ao menino como “Satanás”

Apesar de relatar ter um bom relacionamento com o menino, Emma alegou que com o tempo o comportamento inadequado da criança começou a interferir na convivência.

Ela confessou ter se referido a Arthur como “Satanás” em uma mensagem de texto e disse que seu pai às vezes não o deixava sair de casa por “ter vergonha dele”.

Confira também:

Ela admitiu que algumas alegações feitas sobre a criança em mensagens de texto eram inadequadas. Por outro lado, Emma relatou ao tribunal que o menino às vezes era posto de castigo sem que tivesse feito “qualquer coisa errada”.

No dia 17 de junho de 2020 o menino foi declarado morto no hospital. Segundo os médicos, ele sofreu uma “lesão cerebral irrecuperável” depois que sua cabeça foi “supostamente golpeada repetidas vezes contra uma superfície dura”.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos