Foco

Jovem que foi filmado dando tiro que matou a namorada vira réu por feminicídio, em Goiás

Gravação foi feita Ielly Alves, que não sobreviveu; familiares dizem que ela pretendia romper namoro

Rapaz foi preso pelo crime

Diego Fonseca Borges, de 27, que foi preso após ser filmado disparando o tiro que matou a namorada, Ielly Gabriele Alves, de 23, em Jataí, em Goiás, virou réu no caso. As imagens foram gravadas pela própria vítima, que foi socorrida, mas não sobreviveu. A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público (MP-GO) por homicídio triplamente qualificado.

Conforme a denúncia, as qualificadoras são emboscada, recurso que dificultou a defesa da vítima, além da condição do sexo feminino, ou seja, feminicídio.

Em nota divulgada na época da prisão, a defesa de Diego disse que ele não tinha a intenção de atirar em Ielly e ressaltou que “o que era para ser uma brincadeira, acabou como uma grande tragédia”. Os advogados não foram encontrados para comentar sobre a denúncia do MP-GO.

Diego está preso desde a morte de Iellly, no último dia 4 de novembro. Apesar das alegações da defesa sobre tiro acidental, a mãe da vítima, Olesiane Alves, contou que o casal “não dava certo” e que a filha pretendia terminar o relacionamento no dia em que foi morta.

“Ela falou ‘eu resolvi não querer mais, porque a gente não dá certo. Mãe, nós vamos ficar só amigos. Eu já pedi tanto a Deus para tirar esse sentimento [de mim]. Eu vi que a gente não dá certo”, disse Olesiane ao site G1.

“Foi um ano e sete meses de sofrimento. Mais cedo no dia ela disse que não queria mais porque eles ‘não davam certo’ e disse que ele queria conversar com ela”, lembrou Olesiane, que destacou que a filha chegou a dar comida para Diego antes que eles deixassem a casa.

Segundo a mãe, Ielly já tinha sido agredida pelo rapaz em várias situações, mas não chegou a denunciá-lo à polícia. “Teve algumas vezes que eles discutiram e ela chegava com algum hematoma. Eu achava ruim intrometer, mas era difícil. Ela não me falava muito porque ela sabia que eu tomava as dores dela”, disse.

“Ano passado ele fez uma surpresa para ela, essa ex esteve no local e agrediu minha filha. Ela foi parar no hospital e teve que dar pontos no braço. Ele deu todo o suporte, mas depois disso foi ficando mais conturbado [o relacionamento]. Ela chegava chorando, mas não gostava de falar”, ressaltou Olesiane.

Uma amiga de Ielly já tinha revelado que a jovem era agredida e ameaçada por Diego. “Ele já disse que ia matar ela da vez que eles separaram”, afirmou a amiga, que completou: “Ele batia na Ielly demais. Ela já apareceu com ferimento de mais de 20 centímetros no corpo”, relatou.

Rapaz foi preso pelo crime

Relembre o caso

A jovem morreu na noite do último dia 4 de novembro. A Polícia Militar foi acionada depois que ela deu entrada no Hospital das Clínicas de Jataí após ser baleada. O tiro a feriu na região do tórax e, apesar do atendimento, ela não resistiu e morreu.

No hospital, os policiais militares começaram a conversar com Diego para entender como a jovem tinha sido ferida. O rapaz alegou que eles estavam trafegando de carro pela Avenida Tancredo Neves, quando dois homens em uma moto escura se aproximaram e um deles atirou. Assim, a namorada dele foi baleada e ele a socorreu.

Porém, logo depois Diego apresentou divergências sobre os fatos e foi levado para a delegacia de Jataí. No local, os policiais civis tiveram acesso a um vídeo no celular da vítima, no qual o namorado aparecia mirando um revólver na direção dela.

Assista abaixo - Atenção: imagens fortes:

Durante as diligências, os PMs encontraram a arma usada no disparo nas proximidades de onde o carro do rapaz estava estacionado. Ele foi preso, virou réu no caso e permanece à disposição da Justiça.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos