Foco

‘Galã do Tinder’ tem nova condenação por golpes e vai indenizar vítima em R$ 20 mil; entenda

Renan Augusto Gomes está preso desde setembro de 2022 e já cumpre pena por estelionato

Prejuízos passam de R$ 500 mil

A Justiça condenou Renan Augusto Gomes, mais conhecido como o “Galã do Tinder”, a 2 anos e 4 meses de reclusão em regime semiaberto pelo crime de estelionato. Como ele já estava preso, desde setembro do ano passado, não poderá recorrer em liberdade. Além disso, terá que indenizar uma das vítimas em R$ 20 mil.

Segundo investigação da Polícia Civil, Renan fez várias vítimas em redes de relacionamento, entre elas Tinder, Inner, Happn, Lovoo. Ele se apresentava como Augusto Keller, um empresário descendente de alemães, órfão, que estava em busca de um namoro sério, mas, na verdade, seu objetivo era tirar recursos de seus alvos.

A condenação mais recente foi feita pela 3ª Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de São Paulo, que atendeu a um pedido do Ministério Público. A vítima em questão relatou que repassou R$ 17 mil ao “galã”, divididos em três parcelas: R$ 2 mil, R$ 4 mil e R$ 11 mil. Depois de receber o dinheiro, ele não respondeu mais aos contatos e nunca fez a devolução dos valores.

A defesa de Renan não foi encontrada para comentar o assunto até a publicação desta reportagem.

Ele pode pegar até 8 anos de prisão

Primeira condenação

O “galã” já tinha sido condenado a 4 anos e 6 meses de prisão pelo crime de estelionato, em fevereiro deste ano. Nesse caso, a vítima era uma moradora de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, que denunciou Renan depois que ele se envolveu amorosamente com ela e, após pedir quantias que somaram R$ 150 mil, sumiu.

Ao todo, ele é suspeito de aplicar golpes em pelo menos sete mulheres, sendo que uma delas disse que teve prejuízos superiores a R$ 500 mil depois que emprestou o dinheiro a ele mediante a promessa de participação em uma sociedade em uma loja de celulares, que nunca existiu.

Outra mulher procurou a polícia e relatou em depoimento que gastou R$ 15 mil com o suspeito, e outra vítima disse que perdeu R$ 8 mil após um golpe aplicado por ele. Os valores dados pelas outras duas mulheres não foram divulgados.

A polícia apurou que ele abordava as mulheres de classe média alta e dizia que era filho de alemães. Para sensibilizá-las, afirmava que os genitores pais tinham morrido em acidente de carro em Araçatuba, no interior de São Paulo. Assim, se envolvia amorosamente com as vítimas e chegava até a conhecer os familiares delas.

Em seguida, com o tempo, ele começava a pedir dinheiro emprestado alegando problemas com a Receita Federal ou com os bancos. As mulheres acabavam cedendo e, depois, ele desaparecia.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos