Foco

Cidade de SP reduz intervalo entre doses da Pfizer para adolescentes para 21 dias

Medida passa a valer nesta sexta-feira; mais de 700 mil menores a partir de 12 anos estão com segunda dose atrasada

A Prefeitura de São Paulo reduziu de oito semanas para 21 dias a aplicação da segunda dose da vacina da Pfizer para adolescentes de 12 a 17 anos. Segundo a administração, a medida entra em vigor nesta sexta-feira (12) e visa acelerar o processo de conclusão do esquema vacinal contra covid-19 desta faixa etária.

A redução do intervalo entre as doses da Pfizer já estava valendo na capital para pessoas acima de 18 anos desde o último dia 20 de outubro.

A partir de amanhã, os adolescentes que tomaram a primeira dose há 21 dias já podem procurar os postos para receber a segunda dose. Mais de 700 mil ainda não voltaram para concluir a vacinação e estão aptos a retornar.

LEIA TAMBÉM:

Além disso, a prefeitura destaca que segue a vacinação para adultos que estão com a segunda dose atrasada, assim como a aplicação da dose de reforço para os profissionais de saúde e idosos acima de 60 anos que concluíram a vacinação há pelo menos seis meses. Neste grupo também entram os agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM), sepultadores e fiscais das subprefeituras.

Também recebem o reforço os imunossuprimidos com mais de 18 anos, que tomaram a última dose há pelo menos 28 dias. O mesmo prazo vale para quem tem viagem ao exterior para países que não aceitam as duas doses da Coronavac.

A prefeitura ressaltou que estão em funcionamento as 469 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e 82 Assistências Médicas Ambulatoriais integradas com UBSs, as AMAs/UBSs Integradas, das 7h às 19h, além dos megapostos, drive-thrus e farmácias parceiras, das 8h às 17h.

Pelo site De Olho na Fila é possível acompanhar a situação de espera nos postos que estão em funcionamento na cidade para evitar filas. Já no site Vacina Sampa está disponível a lista com todos os endereços das unidades de saúde.

Documentos para vacinação

Para receber a vacina, é obrigatório apresentar documento de identificação, preferencialmente CPF e cartão SUS, além de comprovante de residência no município de São Paulo e o cartão de vacinação contra covid-19, para a segunda dose ou dose adicional.

No caso de profissionais de saúde, deve ser apresentado um comprovante de vínculo empregatício em serviço de saúde do município de São Paulo ou documento do conselho de classe. Também é possível levar comprovantes de profissão, certificado ou diploma.

Adolescentes que ainda não receberam a primeira ou segunda dose devem levar comprovantes de endereço em nome dos pais. Além disso, o menor de idade deve estar acompanhado dos pais ou responsável para receber a vacina. Caso não seja possível, é preciso ir com um adulto e apresentar uma autorização assinada por um responsável.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos