Foco

SP começa a aplicar dose de reforço contra covid-19 a profissionais de saúde na segunda-feira, diz Doria

Poderão receber a vacina aqueles que já que concluíram ciclo há 6 meses.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (29) que a aplicação da dose de reforço contra covid-19 começará a ser aplicada nos profissionais de saúde a partir da próxima segunda-feira (4). A vacina será destinada a médicos, enfermeiros e os demais trabalhadores que atuam na área no estado. O público estimado é de 1 milhão.

Segundo o anúncio, poderão receber a dose de reforço os profissionais de saúde que completaram o esquema vacinal há pelo menos seis meses, ou seja, aqueles que já tomaram as duas doses ou dose única nesse período.

“Nós vamos iniciar a aplicação da terceira dose da vacina contra a covid-19 em São Paulo nos profissionais de saúde, médicos, enfermeiros e nos que trabalham com a saúde aqui no estado de São Paulo. A imunização para esse público começará na segunda-feira, dia 4 de outubro, para reforçar ainda mais a imunidade de quem está na linha de frente no combate à pandemia”, disse Doria.

LEIA TAMBÉM:

  1. Covid-19: imunização continua para idosos com mais de 70 anos e imunossuprimidos
  2. USP oferece curso de programação para mulheres do Ensino Médio
  3. Após quase um mês internado em São Paulo, Pelé receberá alta nesta quinta-feira

Ministério da Saúde

Na última sexta-feira (24), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou no seu Twitter a aplicação de doses de reforço de vacinas contra a covid-19 em profissionais da saúde.

De acordo com o ministro, a Pfizer deve ser o imunizante preferencial para esse caso e a dose de reforço deverá ser aplicada a partir de seis meses após as duas primeiras doses.

“Acabamos de aprovar a dose de reforço para profissionais de saúde, preferencialmente com a Pfizer, a partir de seis meses após a imunização completa. Essa já é a maior campanha de vacinação da história do Brasil. Brasil unido por uma #PátriaVacinada”, publicou Queiroga na rede social, sem deixar claro, porém, quais outros imunizantes podem ser utilizados na falta de Pfizer e quando começa a aplicação das doses.

Dias antes do anúncio, a Prefeitura de São Paulo havia enviado um ofício tanto ao governo estadual, quanto ao Ministério da Saúde, pedindo a inclusão dos profissionais de saúde na dose de reforço contra covid-19.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos