logo
Foco
/ Foto: Reprodução / Foto: Reprodução
Foco 14/09/2021

Preso mais um suspeito de participar do mega-assalto em Araçatuba; total de detidos chega a oito

Ataque a bancos terminou com três mortos no último dia 30, em SP.

Por : Metro World News

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira (14) mais um suspeito de participar do mega-assalto contra agências bancárias em Araçatuba, interior de São Paulo, no último dia 30. Com isso, chega a oito o total de detidos.

Foram cumpridos nesta manhã 20 mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária nas cidades de São Paulo, Campinas, Piracicaba, Guarulhos e Araçatuba. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Federal em Araçatuba.

Leia também:

O suspeito preso temporariamente foi interrogado e encaminhado ao presídio, onde permaneceu à disposição da Justiça Federal. Com ele, chegou a oito o total de presos por envolvimento no crime, sendo que apenas quatro seguem sob custódia.

Na semana passada, um suspeito de financiar os assaltos foi solto após passar por audiência de custódia. A Justiça entendeu que não havia indícios suficientes que o ligassem ao ataque no interior de São Paulo.

Segundo a Polícia Federal, as equipes ainda trabalham na identificação e prisão dos integrantes da organização criminosa. Além dos detidos, outras três que foram identificadas, mas morreram após o crime.

Foto: Reprodução
Criminosos espalharam explosivos pela cidade, que foram desarmados pela polícia

O ataque

O mega-assalto ocorreu na madrugada do último dia 30 e deixou três mortos — um professor de educação física que era mantido refém, um empresário que tentou filmar os assaltantes e um dos assaltantes.

Fortemente armada com fuzis de assalto, a quadrilha incendiou carros em vários pontos da cidade para impedir o deslocamento da polícia, reféns foram amarrados ao capô dos carros para serem usados como escudos humanos e até um drone foi utilizado para monitorar a fuga da quadrilha. Mais de 100 explosivos foram deixados na cidades pelos criminosos e, depois, recolhidos pelas forças policiais.

Um morador que andava de bicicleta pelas ruas após o ataque esbarrou em um dos explosivos e perdeu os dois pés na explosão.