logo
Representação / Imagem de Free-Photos por Pixabay Representação / Imagem de Free-Photos por Pixabay
Estilo de Vida 21/07/2021

Necromaquiagem: confira detalhes da rotina de uma especialista no assunto

A maquiadora Fawn Monique fala sobre a importância desse trabalho e o quanto se sente grata por poder realizá-lo.

Falar sobre a morte, e sobre os mortos, geralmente envolve uma série de tabus. Para muitos, trabalhos relacionados aos falecidos é algo assustador, mas a necromaquiadora Fawn Monique Dellavalle diz o oposto. A maquiadora, que já fez trabalhos para o tapete vermelho de Hollywood, diz que trabalhar dando um último visual aos falecidos é uma honra.

O trabalho geralmente envolve preparar os cadáveres para o enterro, aplicando maquiagem, fazendo manicure, arrumando os cabelos e, em casos mais extremos, ajudando na reconstrução de rostos desfigurados. Embora não seja uma agente funerária treinada, Fawn foi convidada para atuar na área devido a sua experiência com maquiagem.

O que faz um especialista em necromaquiagem?

A necromaquiagem, ou cosmetologia mortuária, é um serviço oferecido pelas funerárias. Segundo Fawn, o profissional dessa área geralmente em algumas atividades principais. “Geralmente costumo cuidar da pele, maquiagem e unhas. Um cabeleireiro vem para fazer o cabelo”, afirma a maquiadora em entrevista ao Mirror.

Existem produtos específicos para utilizar em cadáveres, produtos comumente utilizados não podem ser utilizados. “Eu tenho um kit que é apenas para finalizar a aparência. Consiste em cuidados com a pele, preparando-a para aceitar a maquiagem, esmalte e kit de maquiagem completo, com pincéis específicos para essas aplicações”, informa a maquiadora.

Confira também:

Em geral, nenhum trabalho é igual ao outro, tudo depende da causa da morte e da aparência da pele. “Se a pessoa usou maquiagem ao longo da vida, peço para ver a bolsa de maquiagens e tento encontrar as cores mais próximas as utilizadas. Tento fazer com que pareçam o mais próximo de sua aparência normal e dar o meu melhor para garantir que pareçam estar apenas descansando em paz”.

A experiência

Uma carreira como necromaquiador nem sempre é tranquila. Fawn, que tem muitos anos de experiência, ainda se recorda da primeira aplicação em um corpo. “Foi extremamente difícil, havia muitos traumas de pele e cabeça, hematomas para equilibrar, a visualização era para ser um caixão fechado”, afirma.

“Estava preparando o falecido para que a família pudesse vê-lo pessoalmente pela última vez. Tento manter a família na minha mente durante os casos mais difíceis. É realmente para eles terem aquele encerramento de ver seu ente querido antes do enterro”.

O processo da maquiagem leva em torno de 2 horas para ser concluído. Feito isso, o corpo é levado para a área de velório. Durante este tempo, Fawn diz que se preocupa em verificar a iluminação do local do velório e de que forma poderá realizar seu trabalho sem interferir nas roupas. “Toco uma música tranquila e começo a pintar o corpo, que parece estar apenas dormindo pacificamente”.

Para muitos, este pode ser um trabalho considerado assustador, mas para Fawn ele é na verdade um motivo de honra. “Não acho isso assustador, sinto que é um ritual de encerramento do tempo do ser aqui na terra e é algo que deve ser homenageado em todos os sentidos”, encerra a maquiadora.