Entretenimento

Neta da Rainha revela diagnóstico de dislexia

Princesa Beatrice, neta da Rainha, revelou ter sido diagnosticada com dislexia e falou abertamente sobre o tema: “Eu realmente quero mudar a narrativa em torno do diagnóstico”.

A princesa Beatrice, filha do príncipe Andrew e neta da Rainha Elizabeth II, disse que deseja “mudar um pouco a narrativa para algo que seja positivo”.

Em uma conversa com a editora da Hola! Magazine, a princesa Beatrice detalhou sua relação com a dislexia e disse que está determinada a mudar a narrativa em torno da dislexia, distúrbio genético que dificulta o aprendizado e a realização da leitura e da escrita.

«Mesmo se referindo a isso como um diagnóstico, eu sinto, um desserviço ao brilho de algumas das mentes mais fantásticas que temos», Beatrice disse à nossa editora Giovanna Fletcher. «Mudar um pouco a narrativa para algo que seja positivo, algo que tenha impacto, pode realmente ajudar a todos».

Beatrice é patrocinadora da Helen Arkell Dyslexia Charity desde 2013 e está grávida do seu primeiro filho, fruto do casamento com Eduardo Mapelli Mozzi. A neta da Rainha disse que se seu enteado, Wolfie, ou qualquer futuro filho tiver a sorte de ser identificado como disléxico, então isso é um verdadeiro «presente». «Honestamente, o que me inspirou a falar sobre dislexia do jeito que falei, é porque eu realmente quero mudar a narrativa em torno do diagnóstico. Mesmo referindo-me a isso como um diagnóstico, sinto que presta um desserviço ao brilho de algumas das mais fantásticas mentes que temos. E acho que mudar um pouco a narrativa para algo que seja positivo, que seja impactante, acho que pode realmente ajudar a todos”, falou Beatrice.

Leia mais sobre a Família Real britânica:

  1. Emma Corrin assume homossexualidade e dispara: “Espero que compartilhar minha verdade ajude as pessoas”
  2. Entenda por que Meghan e Harry decidiram morar nos Estados Unidos e não na Nova Zelândia
  3. Meghan Markle e Harry contratam produtora premiada da FX
  4. Lady Di queria encontrar seus filhos antes de morrer, confirma amigo da princesa

Ela também falou sobre o ensino em casa que recebeu por conta da dislexia e de suas memórias da escola, “confuso e estranho”. «Acho que contar histórias é uma das maneiras mais fantásticas de se comunicar. Se, ao compartilhar minha história, puder ajudar um jovem, seja ele de 11 ou sete anos apenas de receber a notícia de que tem o dom da dislexia, então acho temos uma oportunidade fantástica de compartilhar alguns desses grandes aprendizados”, disse Beatrice.

«Tive muita sorte de que, quando me disseram que tinha dislexia, nenhuma pessoa ao meu redor me fez sentir como se fosse uma pessoa ‘menor que fulana’. Sempre foi uma questão de seguir em frente, sempre foi sobre o que você poderia fazer. Nunca sobre o que você não pode. E isso é algo que é muito, muito importante para mim. Acho muito inspirador falar sobre isso todos os dias. Porque se você puder mudar uma pequena ideia na cabeça de alguém, então você fez uma grande coisa”, finalizou Beatrice.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos