Social

‘Meus alunos nunca souberam’, afirma professora que morou dentro de uma barraca por dois anos

Por não ter como arcar com o aluguel do apartamento, ela morou em uma barraca por dois anos.

Representação

Aimée Lê, uma professora de inglês do Reino Unido, confessou em suas redes sociais ter morado em uma barrada durante dois anos.

Conforme a publicação feita pelo portal 24 horas, a professora morava em uma barraca enquanto dava aulas para seus alunos em uma escola. Durante os dois anos, ninguém soube sobre sua situação.

Segundo a declaração de Aimée, ela precisou morar em uma barraca por não ter como pagar o aluguel do apartamento enquanto arcava com suas despesas utilizando somente a renda da pós-graduação.

“Fazia frio. Era uma pequena barraca para uma pessoa, o que significa que depois de um tempo acaba ficando mais quente. Houve dias em que me lembro de acordar e minha barraca estar dentro de um círculo de neve”, declarou a jovem professora.

“Quando não estava fazendo meu doutorado ou outro trabalho, aprendia a cortar lenha ou fazer fogo”

Conforme relata Aimée, seus livros eram guardados em um escritório da pós-graduação e ela utilizava os vestiários da universidade para tomar banho. Para seus pais, ela disse que estava hospedada em uma fazenda ecológica pois não queria preocupá-los.

Ela lembra de ter levado a vida dupla por ter medo de prejudicar sua reputação profissional caso as pessoas descobrissem que ela não tinha um apartamento.

Confira também:

Mesmo com as dificuldades, Aimée seguiu trabalhando de forma focada, enquanto esperava pela “recompensa da estabilidade” depois que terminasse seus estudos de doutorado.

Após dar aulas particulares e trabalhar em um jardim botânico, as coisas começaram a melhorar para Aimée, que conseguiu um contrato de dois anos para lecionar redação criativa na Universidade de Exeter.

Atualmente, a professora mora com os pais e segue buscando por outras oportunidades de trabalho. “A ironia é que me acho bem adaptada ao trabalho de professora. Sei que sou boa nisso. É como uma vocação”, declara.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos