logo
Social
Representação / Imagem de Hands off my tags! Michael Gaida por Pixabay Representação / Imagem de Hands off my tags! Michael Gaida por Pixabay
Social 05/09/2021

Pedra no sapato leva a prisão de assassino

Um perito forense contou detalhes das análises que levaram a prisão de um assassino.

Derek Tremain é um especialista forense que vem resolvendo casos junto a sua esposa, que também é especialista, Pauline. O casal, autor do livro ‘Como resolver um assassinato: histórias verdadeiras de uma vida em medicina legal’, contaram como uma pedra no sapato foi capaz de desvendar um caso complexo.

Segundo reportagem do The Mirror, a descoberta feita por Tremain teve papel importante na condenação de William Wilson, acusado de espancar e torturar Michael Tullet, de 53 anos.

Durante as investigações do caso, a polícia pediu a Tremain se ele poderia realizar a comparação entre uma marca de mão ensanguentada, encontrada em um papel de parede na cena do crime, e a mão de um suspeito.

Como o papel de parede estava muito danificado, a comparação não foi possível. Pensando em buscar a resposta por outro ângulo, o perito forense pediu para realizar uma nova análise nos sapatos do suspeito.

Segundo Tremain: “A vítima foi pisoteada, ele tinha pegadas. Eu pedi para dar uma olhada nas marcas dos sapatos. Olhei os álbuns de ferimentos da vítima e pude ver que marcas em suas costas pareciam com pequenos buracos de fechadura”.

O perito ainda relata que ao analisar de forma mais detalhada notou que uma das feridas possuía uma pequena marca que combinava perfeitamente com uma pequena pedra presa ao sapato do suspeito. “Quando sobrepus o sapato e a imagem da ferida, a pedra estava exatamente na mesma posição. Em todos os casos que fiz, nunca vi algo tão definitivo”.

A descoberta de uma pedra no sapato resolveu um crime complexo

Quando Tremain descobriu a conexão entre a pedra na sola do sapato e a ferida nas costas da vítima, sua primeira reação foi gritar para avisar sua esposa.

“Chamei Pauline e disse: ‘olhe, olhe, olhe’. Então liguei para o policial e disse que combinava. Eu sabia que a pessoa que estava usando era quem tinha causado as feridas nas costas da vítima”.

Segundo um dos detetives envolvidos no caso, as evidências obtidas por Tremain foram essenciais para resolver o caso.

“O exame forense na casa de Michael Tullet mostrou que uma extensa limpeza ocorreu após o assassinato, resultando em recuperação forense mínima de evidências. As impressões de calçados despertaram um grande interesse na equipe. A recuperação do calçado tornou-se uma prioridade”, declarou o detetive.

Confira também:

“Derek Tremain foi capaz de fornecer evidências de que o calçado de treinamento recuperado era de fato o utilizado por um dos atacantes. Esta foi uma prova significativa que levou à condenação do assassino”, finalizou.

Graças a uma pedra no sapato, Wilson foi considerado culpado de assassinato e condenado à prisão perpétua em 2005.