logo
Imagem ilustrativa / Reprodução / Pixabay / vieleineinerhuelle Imagem ilustrativa / Reprodução / Pixabay / vieleineinerhuelle
Social 27/05/2021

Vídeo mostra cobra rara de duas cabeças encontrada em fazenda

Animal vivia na natureza!

Uma cobra rara de duas cabeças foi descoberta na região do Curdistão, no Iraque. As imagens do réptil logo se tornaram virais e surpreenderam as redes sociais.

De acordo com o portal Latestly, o fazendeiro Mohammed Mahmoud descobriu o animal enquanto trabalhava e ficou abalado com o achado.

“Quarta-feira foi um dia normal para mim. Nos últimos 30 anos tenho cultivado nossa terra aqui nesta vila. De repente, percebi a cobra no riacho enquanto o nível da água estava baixo”, disse o homem que manteve a cobra viva e a levou para casa.

Um vídeo que mostra a cobra rara de duas cabeças foi compartilhado pela CBS News no Twitter, que esclareceu que ela não é venenosa e tem 20 centímetros de comprimento.

Confira as imagens:

Este animal aparenta ter menos de um ano e pertence à família Colubridae, que pode viver tanto na terra como na água. Ele não suporta temperaturas altas e precisa se proteger constantemente do Sol.

“Na região do Curdistão, existem 10 espécies diferentes de cobras. No entanto, esta espécie de cobra é rara, especialmente uma com duas cabeças”, disse o especialista em identificação de animais Aram Ghafoor.

Confira mais:

Pesquisas apontam que uma em cada cem mil cobras pode nascer com duas cabeças. No entanto, sua expectativa de vida é baixa, principalmente na natureza, onde as dificuldades para conseguir alimento e se defender de predadores aumenta.

Ok facebook…anybody out there know of a place that would take Double Trouble here and care for him/her or should I turn it loose?..Its not poisonous

Publicado por Jeannie Wilson en Domingo, 27 de septiembre de 2020

“Observá-las se alimentando, muitas vezes brigando para ver qual cabeça engolirá a presa, mostra que a alimentação leva muito tempo, durante a qual elas seriam altamente vulneráveis ​​a predadores. Elas também têm muita dificuldade em decidir que direção tomar e, se tivessem que responder a um ataque rapidamente, simplesmente não seriam capazes disso”, disse Gordon Burghardt ao National Geographic.