Foco

Pais de Walewska dizem que viúvo a tratava mal e quer manchar sua imagem pós-morte: “Muito feio”

Eles explicaram os motivos que entraram com ação judicial para que o ex-genro seja excluído da herança

Polícia diz que ela se jogou do 17º andar de prédio

Os pais da ex-jogadora Walewska Oliveira, campeã olímpica pela Seleção Brasileira de Vôlei, que morreu aos 43 anos ao cair do 17º andar de um prédio, em São Paulo, falaram publicamente sobre o caso pela primeira vez. Em entrevista ao “Fantástico”, da TV Globo, eles explicaram os motivos que os levaram a entrar com uma ação judicial para impedir que o ex-genro fique com a herança da filha e revelaram que ele a tratava mal. Além disso, dizem que ele quer manchar a imagem da ex-atleta.

“Na presença dos pais, ele às vezes maltratava ela. Nós chegamos a assistir briga dele com ela. Eu levando eles para o aeroporto. Ele xingava ela dentro do carro comigo. Eu ficava assim, chateado. Eu olhei pra ele assim, e ele parou de falar. O marido tratar mal a mulher perto dos pais. A gente imaginava: e longe da gente, o que não pode acontecer?”, relatou o pai de Walewska, Geraldo Vieira de Oliveira.

O pai também lamentou que, após a morte da filha, o ex-genro, o corretor de imóveis e preparador físico Ricardo Alexandre Mendes, não fez questão de comparecer ao sepultamento e isso os chateou muito. Desde então, eles não se falaram mais. “E o descaso do companheiro dela, do marido dela, para com ela deixou a gente muito triste também”, lamentou.

A família ainda reclamou que o viúvo disse mentiras para tentar manchar a imagem de Walewska após a morte dela. Isso porque, ao registrar o boletim de ocorrência, Mendes afirmou que o casal enfrentava uma crise no casamento e alegou que a mulher “era compulsiva por compra” e que tinha “dilapidado boa parte do dinheiro que eles conseguiram durante os anos de casados”.

“Comprar roupa, comprar as coisas pra ela, mas vender imóvel para gastar dinheiro, ela não tinha essa compulsão. Essas coisas de ele falar dela, eu acho que era muito feio para ele”, pontuou o pai. “Ele está tentando manchar a imagem dela”, disse a mãe da ex-atleta, Maria Aparecida Moreira.

Os pais ressaltaram que a filha deixou cartas, nas quais citou várias decepções no casamento, entre elas, o fato de ter descoberto que Mendes tinha um filho fruto de outra relação. Apesar disso, enquanto ainda estava viva, ela nunca chegou a comentar com eles a traição do marido, mas deixou claro que eles enfrentavam uma crise financeira.

Procurado pela reportagem, Ricardo Mendes enviou uma nota na qual se defendeu dizendo que “ciente da existência de infundadas suspeitas, de que poderia haver abusividade no relacionamento, isso não poderia estar mais distante da realidade.”

O viúvo ressaltou que ele “e Walewska compartilharam uma bonita relação por mais de 20 anos, construindo uma história com acertos e erros, pontos altos e baixos, mas que nunca teve qualquer traço de abuso”.

Sobre questões da disputa pela herança ele não comentou, alegando que o caso está em segredo de Justiça.

Eles citam que ele a tratava mal e tenta manchar sua imagem

Briga pelos bens

Walewska morreu no último dia 21 de setembro, após cair do 17º andar do prédio em que morava, em São Paulo. Ela não deixou testamento, mas acumulou um patrimônio milionário ao longo dos seus 26 anos de carreira, que agora é disputado na Justiça.

De acordo com o site “Notícias da TV”, Walewska tem 23 imóveis listados em seu inventário, que somariam mais de R$ 25 milhões entre apartamentos e salas comerciais em condomínios de luxo. Ainda segundo o levantamento feito pela reportagem, os valores dessas unidades variam entre R$ 456 mil e R$ 2,6 milhões.

Os imóveis em questão estão localizados em diferentes pontos de São Paulo, incluindo o que ela morava, nos Jardins, além de Belo Horizonte, em Minas Gerais, onde moram os pais da ex-jogadora. Das 23 unidades, 13 foram compradas por Walewska como pessoa física e os demais aparecem com o nome de sua empresa, a WL Serviços Esportivos.

A reportagem destaca que, além dos imóveis, a campeã olímpica ainda deixou R$ 1.312.850 em seu seguro de vida, cujos beneficiários são sua mãe e seu marido, que aparece como responsável pelo inventário dos bens. Porém, os pais entraram com recursos na Justiça alegando que Mendes é “indigno” de receber a herança, já que teria contribuído para o suicídio de Walewska. O casal enfrentava uma crise no casamento.

A família alega que a morte da campeã olímpica segue em investigação como “suspeita”, já que a Polícia Civil ainda apura as circunstâncias da queda da vítima do 17º andar do prédio em que morava. Além disso, a ex-jogadora deixou cartas aos familiares e amigos, nas quais deixou claro a insatisfação com o casamento e com a descoberta de que Mendes a tinha traído e, inclusive, tinha um filho fruto da relação.

Os pais de Walewska ainda citaram que Mendes não compareceu ao sepultamento da esposa e não arcou com os custos. O viúvo, por sua vez, disse que não esteve na cerimônia à pedido da família. Mas os parentes negam essa informação.

“Ricardo, companheiro por 20 anos de Walewska, não reconheceu o corpo, deixou documentos e pertences de sua esposa na recepção do prédio para serem recolhidos por familiares, não contribuiu financeiramente ou de forma prática para os trâmites do velório e enterro, negligenciou apoio à família, mas foi bastante rápido e assertivo em solicitar a abertura do inventário e sua habilitação como inventariante”, diz a família no documento entregue à Justiça.

Mendes se defendeu no processo e destacou que, sim, tem o direito de ser o inventariante e também herdeiro. Ele apresentou o certificado do seguro de vida feito por Walewska, na qual ele aparece como beneficiário.

Causas da morte não foram reveladas

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos