Foco

VÍDEO: Jovem que quase morreu ao cheirar pimenta passa aniversário em casa: “Nossa princesinha”

Thais Medeiros teve alta e pôde celebrar os 26 anos ao lado da família; ela segue em UTI domiciliar

Jovem teve crise grave de asma ao cheirar pimenta e teve danos neurológicos

A trancista Thais Medeiros de Oliveira, que teve uma crise grave de asma ao cheirar uma pimenta e quase morreu, em Goiás, completou 26 anos na quinta-feira (7). De presente, ganhou alta médica do hospital e pôde celebrar a data ao lado da família. Ainda sem respostas neurológicas, a jovem continua com tratamentos em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) domiciliar.

Mãe de Thais, Adriana Medeiros compartilhou um vídeo que mostra a filha em casa e agradeceu pelo presente. “Enfim estamos em casa com a nossa princesinha. Viemos passar o aniversário [dela], graças a Deus tivemos alta para ela passar com a família, com as filhas. No mais, muito obrigada a todos pelas orações e positividade” (assista abaixo).

A mãe já tinha revelado que a alta médica estava prevista para o sábado (9), quando lamentou que elas passariam o aniversário da jovem ainda no hospital. No entanto, os médicos do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer) decidiram fazer uma surpresa e liberaram Thais a tempo de que ela pudesse estar em casa com as filhas, Antonella e Valentina.

Recomendados

Alta médica e retorno ao hospital

Após passar cinco meses internada, Thais recebeu a primeira alta médica no último dia 31 de julho. Na ocasião, ela foi levada para a casa da família, onde foi montada uma UTI domiciliar com ajuda de uma vaquinha virtual.

No entanto, quatro dias depois, a jovem voltou às pressas ao Crer, pois apresentava febre e urina vermelha. Além disso, segundo relatou a mãe, ela sofreu um broncoespasmo, que reduz o ar que chega aos pulmões por causa de uma contração do músculo liso dos brônquios.

Thais também ainda apresentava a infecção óssea e seguia sem respostas neurológicas. Apesar das dificuldades no quadro de saúde da filha, Adriana sempre se manteve otimista. “Mais uma vez, a Thais guerreira, é muito forte. Com certeza Deus tem um propósito pra gente (...) Obrigada a todos pelo cuidado, pelas orações, e estamos aí na batalha”, disse ela, na ocasião.

No dia 14 de agosto, a jovem foi transferida da UTI para a enfermaria do Crer, onde continuava em tratamento contra uma infecção óssea. Desde então ela seguia no local e, agora, teve a segunda alta e continuará recebendo o tratamento de que precisa em casa.

Relembre o caso

A trancista passou mal na tarde do último dia 17 de fevereiro durante um almoço na casa do namorado. O rapaz contou que ela cheirou a pimenta e, em seguida, começou a “perder as forças”. Ela foi levada às pressas até o Hospital Evangélico Goiano (HEG), onde foi constatado que sofreu um edema cerebral.

Ao chegar no hospital, a jovem sofreu uma parada cardiorrespiratória, quando ficou cerca de sete minutos sem pulso e 15 minutos sem oxigênio. Assim, ela foi sedada e intubada para evitar danos cerebrais. Depois, foi transferida para a Santa Casa de Anápolis, onde ficou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Depois, foi transferida para um quarto, onde seguiu sua recuperação. No entanto, o diretor técnico da Santa Casa de Anápolis, Murilo Carlos Santana, ressaltou que o quadro dela era delicado.

Os médicos acreditam que a jovem sofreu uma crise de grave de asma ao cheirar a pimenta e, por conta da baixa circulação de oxigênio no cérebro, teve danos neurológicos. O condimento teria sido o gatilho.

A mãe da jovem havia dito que a filha sofria com bronquite desde que ficou grávida. “A Thais contraiu asma e bronquite no final da gravidez dela, desde então, eu venho lutando com ela. Ela tem alergia a muita coisa, só que a gente ainda não sabia. A gente ia começar um tratamento com ela no Hospital das Clínicas em Goiânia, mas, por motivo financeiro, não conseguimos continuar. Ela disse: - não, mãe, depois a gente faz”, contou.

Segundo Adriana, por conta das crises frequentes, a filha já tinha ficado internada cinco dias com uma bactéria no pulmão. Ela se recuperou, mas era comum ter sintomas como falta de ar, tosse e corpo empolado. Apesar disso, ninguém sabia que ela poderia ter alguma reação à pimenta.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos