Foco

‘Galã do Tinder’ começa a ser julgado hoje por estelionato; ele pode pegar até 8 anos de prisão

Renan Augusto Gomes, 35, está detido desde setembro; ele teria feito pelo menos mais 5 vítimas

Ele pode pegar até 8 anos de prisão

Renan Augusto Gomes, de 35 anos, mais conhecido como o “Galã do Tinder”, começa a ser julgado nesta quinta-feira (15) pela Justiça de São Paulo. Ele é réu por estelionato cometido contra uma moradora de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, a quem deu um golpe financeiro. Se condenado, ele pode pegar de 4 a 8 anos de prisão.

O julgamento será realizado nesta tarde por meio de vídeo conferência no Fórum Criminal de São Bernardo. A mulher disse ao longo do processo que havia conhecido o golpista por um aplicativo de relacionamentos no celular e que ele a causou um prejuízo de R$ 150 mil.

Mas essa não seria a única vítima dele. A Polícia Civil ainda apura o envolvimento dele em cinco golpes. Outra mulher relatou prejuízo superior a R$ 500 mil depois que emprestou o dinheiro ao ‘galã' mediante a promessa de participação em uma sociedade em uma loja de celulares que nunca existiu.

Mais uma relatou em depoimento que gastou R$ 15 mil com o suspeito, e outra vítima disse que perdeu R$ 8 mil após um golpe aplicado por ele. Os valores dados pelas outras duas mulheres não foram divulgados.

'Galã do Tinder' é preso na Zona Norte de São Paulo

Prisão

Gomes foi preso no último dia 22 de setembro na região de Pirituba, Zona Norte de São Paulo, durante operação conjunta entre a Deic (Delegacia Especializada em Investigações Criminais) de São Bernardo do Campo e o MP (Ministério Público). Ele é suspeito de aplicar golpes em São Paulo e em São Bernardo do Campo após conhecer as vítimas em aplicativos de relacionamento.

A prisão preventiva do suspeito havia sido decretada há cerca de três meses. A defesa do suspeito ingressou com um pedido de habeas corpus na 2ª instância, que acabou negado. Ele passou, então, a ser considerado foragido.

Renan foi encontrado na Avenida Raimundo Pereira Magalhães em um carro. Ao tentar fugir, acabou batendo em três veículos. Foi detido e encaminhado à delegacia.

Após a prisão, as outras cinco mulheres na Grande São Paulo procuraram a Polícia Civil para denunciá-lo. Mas o número de vítimas pode ser ainda maior.

Os golpes

Conforme a investigação, o golpista tinha diversos perfis em redes de relacionamento, entre eles o Tinder, Inner, Happn, Lovoo, e se identificava como Augusto Keller.

Ele abordava as mulheres de classe média alta e dizia que era filho de alemães. Para sensibilizá-las, afirmava que os genitores pais tinham morrido em acidente de carro em Araçatuba, no interior de São Paulo. Assim, se envolvia amorosamente com as vítimas e chegava até a conhecer os familiares delas.

Em seguida, com o tempo, ele começava a pedir dinheiro emprestado alegando problemas com a Receita Federal ou com os bancos. As mulheres acabavam cedendo e, depois, ele desaparecia.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos