Foco

Homem nega ter assediado e matado jovem atropelada intencionalmente, em SC

Vítima, de 18 anos, foi esmagada por caminhonete contra caminhão do namorado, em Itajaí

O homem de 35 anos, preso em flagrante por matar Vanessa Machowski, de 18, em Itajaí, em Santa Catarina, disse em depoimento à polícia que não atropelou a vítima de maneira intencional e que o acidente aconteceu durante uma discussão. Ele ainda negou que tenha assediado a jovem antes da confusão.

Vanessa foi morta na noite de domingo (10), quando estava na Rua José Luiz Marcelino, no bairro Cordeiros, onde conversava com o namorado. Segundo o boletim de ocorrência, o rapaz estava dentro da cabine de um caminhão e a jovem, parada do lado de fora. Foi quando o condutor de uma caminhonete Tucson, identificado como Juciano Marinho Gomes, parou ao lado dela e a assediou verbalmente com palavras de cunho sexual.

LEIA TAMBÉM:

O namorado de Vanessa desceu do caminhão, assim como o condutor da Tucson, e foi iniciada uma discussão. O rapaz contou à polícia que o homem apresentava fortes sinais de embriaguez. Juciano, então, entrou na caminhonete e saiu do local, mas, aproximadamente cinco minutos depois, voltou e jogou o carro em cima de Vanessa, que acabou esmagada contra o caminhão do namorado. Em seguida, o atropelador fugiu em alta velocidade.

O Metro World News não conseguiu contato com a defesa de Juciano até a publicação desta reportagem.

Prisão preventiva

O condutor da Tucson foi preso em flagrante por homicídio qualificado por motivo fútil e embriaguez ao volante. Em seguida, a Polícia Civil pediu a prisão preventiva dele, o que foi aceito pela Justiça na segunda-feira (11).

O delegado responsável pelo caso, Eduardo Ferraz, disse que o homem negou em depoimento que tenha assediado a jovem e também que a tenha atropelado de forma intencional, mas, sim, durante uma discussão. De qualquer forma, segundo o investigador, vale o relato do namorado da vítima de que ele jogou o carro contra a jovem.

Juciano já tinha diversas passagens por crimes de injúria, difamação, lesão corporal dolosa contra mulher e perturbação de sossego, segundo a polícia.

O corpo de Vanessa foi enterrado na terça-feira (12) em Itajaí. Ela era natural de Rio Azul, no Paraná, e morava na cidade catarinense há 11 anos. Segundo familiares, ela sonhava em abrir um salão de beleza.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos