Esporte

Febre no Brasil após Jogos, skate tem etapa de street nos EUA com Rayssa e Kelvin

A SLS, liga mundial de skate street, tem início programado para esta sexta-feira, em Salt Lake City, estado americano de Utah. O Brasil conta com 11 representantes, incluindo os principais nomes da modalidade, como Letícia Bufoni, Pâmela Rosa e os medalhistas de prata na Olimpíada de Tóquio-2020, Rayssa Leal e Kelvin Hoefler. A turma toda vai se juntar novamente numa competição.

Há pouco mais de uma semana, Bufoni foi campeã de um torneio internacional em Paris, sede dos Jogos em 2024. Pâmela, que assim como a compatriota, não se classificou para a final no Japão, revelou uma lesão no ligamento do tornozelo. Recuperada, a líder do ranking mundial está preparada para competir nos Estados Unidos. A primeira etapa da SLS vai até este sábado.

Embora tenha 11 skatistas escalados para a disputa, o Brasil não terá a paulista Gabriela Mazetto. O time feminino é formado pelas três atletas que estiveram no Japão (Letícia, Pâmela e Rayssa) e Marina Gabriela, de 18 anos. A equipe masculina conta com Felipe Gustavo, Kelvin Hoefler, Luan Oliveira, Tiago Lemos, Lucas Rabelo e Filipe Mota. Apenas Felipe e Kelvin integraram a delegação do street nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Apesar das ausências por lesões de Aori Nishimura, número 3 no ranking mundial feminino, e da carismática filipina Margielyn Didal, a concorrência das brasileiras deve ser forte. As japonesas Funa Nakayama e Mojomi Nishiya, que dividiram o pódio com Rayssa Leal em Tóquio, estão confirmadas e devem dar trabalho ao trio brasileiro.

Yuto Horigome, campeão olímpico em casa, e Aurelian Giraud, francês que terminou o evento de estreia do esporte em Olimpíadas na sexta colocação, não competem no masculino. Estão confirmados na etapa o também francês Vincent Milou, quarto em Tóquio, o americano Nyjah Huston, tetracampeão mundial e penta do X-Games, e Shane O’Neill, vencedor do Campeonato Mundial em 2016.

A SLS é o principal campeonato de skate street no mundo e oferece a maior premiação aos atletas. Cada etapa é disputada em um país ou cidade diferente. O Brasil tem três títulos desde que a categoria feminina foi introduzida em 2015. Na ocasião, Kelvin e Letícia, que tiveram trocas de farpas nos Jogos de Tóquio, foram os vencedores do torneio.

Quatro anos depois, foi a vez de Pâmela se consagrar como campeã do evento, com Rayssa ficando com o vice. A edição de 2020, prevista para acontecer entre março e maio do ano passado, foi cancelada devido à pandemia do novo coronavírus.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos