logo
Entretenimento
/ Reprodução / Reprodução
Entretenimento 12/09/2021

Flávia Alessandra fala sobre cenas difíceis em ‘Duas Caras’

Escrita por Aguinaldo Silva, a novela de 2007 voltou ao ar no Globoplay e divide a opinião do público

Produzida em 2007, a novela “Duas Caras” entrou para o catálogo do Globoplay. Com grande elenco, a trama foi um dos grandes sucessos da Globo na época, trazendo para o público o romance entre Alzira e Juvenal Antena, personagens vividos por Flávia Alessandra e Antonio Fagundes. 

Com a chegada do folhetim de Aguinaldo Silva ao canal de streaming da Globo, a atriz Flávia Alessandra relembrou das gravações e assumiu uma dificuldade para fazer as cenas mais ousadas com Fagundes. 

Em seu perfil oficial do Instagram, a atriz afirmou que nem todos os momentos calorosos com Antonio Fagundes foram ao ar. “Sequências, passos mais ousados… Porque Alzira foi ficando cada vez mais ousada e nem tudo foi pro ar”, disse a esposa de Otaviano Costa. 

Reprodução

Para ela, um dos momentos mais ousados e complicados foram os que  envolviam o pole dance, que foi um sucesso na época. “Alzirão se envolveu depois com Fafá. Fagundes é uma referência na nossa dramaturgia. E aí, gente, eu tinha uma cena sensual. Confesso que era um desafio muito grande para mim ter uma cena sensual com o Fagundes”.

LEIA MAIS:

E, como em qualquer gravação de novela nem tudo sai como foi ensaiado, Flávia Alessandra contou aos seus seguidores que durante as filmagens rolaram alguns desastres. “Numa das sequências, em que ela dança, numa coisa private, só para ele, eu escorreguei. Me segurei. E ele me olhou como se dissesse: “Vai, confia”. Deu certo. A gente não parou. A cena foi ao ar. Tem um pedaço em que estou escorregando que só eu sei”.

Além das cenas de Flávia Alessandra e Antonio Fagundes, a novela “Duas Caras” coloca em cena alguns personagens evangélicos, que surgem um pouco caricatos e dividem a opinião do público do Globoplay.  

Na trama, eles são representados por algumas pessoas de bom coração, mas também por outras de caráter duvidoso. A personagem Edivânia (Susana Ribeiro), por exemplo, representa o fanatismo religioso e, em uma cena, ela acusa uma mulher grávida de estar esperando um “bebê gerado pelo Diabo”.