logo
Entretenimento
Foto: Reprodução Pinterest / Foto: Reprodução Pinterest /
Entretenimento 03/09/2021

“Princesa pinóquio”: Órgão regulador de mídia inocenta apresentador que atacou Meghan Markle no ar

Apresentador Piers Morgan chamou Meghan de “princesa pinóquio”. Para Ofcom, o apresentador ele “tinha o direito de dizer que não acreditava nas alegações do duque e da duquesa de Sussex”.

Office of Communications, entidade reguladora da mídia no Reino Unido, inocentou o apresentador britânico Piers Morgan em uma investigação interna sobre seus comentários polêmicos sobre Meghan Markle. Em março deste ano, Morgan deixou a bancada no Good Morning Britain depois de receber uma retaliação por questionar veementemente a credibilidade do que Meghan Markle revelou na entrevista à Oprah Winfrey. Na ocasião, Meghan revelou ter tido pensamentos suicidas e que não teve nenhum apoio da Coroa neste sentido.

Meghan fez uma reclamação formal ao canal britânico de tv aberta após os comentários de Morgan terem ido ao ar. Mas, em decisão publicada na última quarta-feira, 1, o Office of Communications (mais conhecido como Ofcom) inocentou Morgan após uma investigação, dizendo que os comentários “não violaram o Código de Radiodifusão Ofcom” e foram proferidos com contexto “suficiente”.

“A Entrevista entre o Duque e a Duquesa de Sussex e Oprah Winfrey continha sérias alegações e era legítimo para este Programa discutir e examinar essas alegações, incluindo sua veracidade”, disse Ofcom. “Ofcom é claro que, de acordo com a liberdade de expressão, o Sr. Morgan tinha o direito de dizer que não acreditava nas alegações do duque e da duquesa de Sussex e de manter e expressar opiniões fortes que desafiavam rigorosamente seu relato”

“O Código permite que os indivíduos expressem opiniões fortemente defendidas e fortemente argumentadas, incluindo aquelas que são potencialmente prejudiciais ou altamente ofensivas, e que as emissoras as incluam em sua programação”, disse a Ofcom.

Leia mais sobre a Família Real britânica:

Ofcom, no entanto, disse ter preocupações sobre o “aparente desrespeito de Morgan pela seriedade de qualquer pessoa que expresse pensamentos suicidas”, embora seus colegas de bancada Susanna Reid e Chris Ship tenham se manifestado de forma equilibrada em seus comentários. 

Depois que a decisão foi publicada, Morgan escreveu um artigo para o Daily Mail e tweetou que está “encantado” com o veredicto. Ele também chamou isso de uma “vitória retumbante para a liberdade de expressão” e se referiu a Meghan como “Princesa Pinóquio”.

Entre os que se manifestaram contra a decisão da Ofcom estava a advogada, comentarista política, escritora e ativista Dr. Shola Mos-Shogbamimu, que disse: “Piers Morgan constantemente agrava o preconceito/ racismo/ sexismo/ misoginia contra Meghan Markle no cenário nacional. Usa seu privilégio branco com poder e influência para efeito. Ofcom acaba de legitimar sua conduta. O racismo sistêmico e a supremacia branca prosperam porque o Reino Unido é institucionalmente racista”.

Em seus comentários que foram ao ar no programa de 8 de março, Morgan questionou as declarações de Meghan sobre sua saúde mental durante seu tempo como membro da família real. A Duquesa de Sussex disse durante a entrevista à Oprah que por um tempo ela “simplesmente não queria mais estar viva”.

“Não acredito em uma palavra do que ela diz, Meghan Markle. Eu não acreditaria se ela lesse um boletim meteorológico para mim e o fato de que ela disparou este ataque violento contra nossa família real, eu acho que é desprezível”, disse Morgan.

No dia seguinte, Morgan saiu furioso do set depois que seu colega, o apresentador Alex Beresford, condenou seus comentários. Mais tarde naquele dia, a saída permanente de Morgan do programa foi anunciada.

Em sua entrevista com a Oprah, Meghan disse: “É preciso muita coragem para admitir que você precisa de ajuda. É preciso muita coragem para expressar isso. Como eu disse, fiquei com vergonha”.

“Acho muito importante que as pessoas se lembrem de que você não tem ideia do que está acontecendo com alguém atrás de portas fechadas. Não tenho ideia”, disse Meghan na época. “Até mesmo as pessoas que sorriem e brilham com as luzes mais brilhantes. Você precisa ter compaixão pelo que está potencialmente acontecendo”.