Vitamina D combate coronavírus? Especialistas alertam sobre riscos

Especialistas em endocrinologia contam que não há comprovação do efeito da vitamina sobre a covid-19, e sua hiperdosagem pode causar problemas à saúde

Por Metro World News

Com o avanço da pandemia de coronavírus pelo mundo, possíveis curas e tratamentos para a covid-19 têm sido buscados por médicos, pesquisadores e mesmo pessoas comuns, que tem sua própria infecção.

No entanto, muitas das curas "milagrosas" divulgadas por pseudo-especialistas, correntes anônimas ou vídeos de origem duvidosa já foram desmentidas. Tais "fake news", quando colocadas em prática, não apenas se mostram ineficazes contra o vírus, mas também podem prejudicar a saúde.

Uma suposta forma de tratar ou prevenir a infecção pelo vírus Sars-CoV-2 é a Vitamina D. Isto porque a deficiência de tal composto, metabolizado através de contato com a luz solar ou suplementos vitamínicos, foi identificada em diversos pacientes de covid-19.

Também o período de isolamento social, com brasileiros e pessoas ao redor do mundo evitando ao máximo deixar suas casas, acaba interferindo em nosso contato natural com o sol.

No entanto, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional de São paulo (SBEM-SP), não existem comprovações científicas, até o momento, de que a vitamina D deva ser utilizada para combater a covid-19. Endocrinologistas ainda temem que informações distorcidas sobre a vitamina e o coronavírus possam levar pessoas a ingerirem dosagem maior do que precisam do hormônio.

LEIA MAIS:
Trabalhadores de áreas essenciais terão direito a creches especiais em São Paulo
Estudo britânico identifica a tontura como sintoma possível da covid-19

"As superdosagens podem apresentar sérios riscos à saúde, como o aumento dos níveis de cálcio no sangue (hipercalcemia), que pode gerar calculose renal e perda da função renal", diz a SBEM-SP, em nota.

"A hipercalcemia ainda pode trazer sintomas como fadiga, fraqueza muscular, náuseas e até anorexia, confusão mental e desidratação", continua.

Portanto, em vez de correr até a farmácia para buscar suplementos, é interessante buscar fontes científicas sobre o assunto. A deficiência de vitamina D é comum, e é considerado um problema de saúde mundial: no entanto, encher-se da vitamina sem receita médica não é a solução.

Caso você esteja preocupada(o) com seus próprios níveis do hormônio, é possível tomar abordagens mais conservadoras para aumentá-los. O ideal é, através de uma solicitação médica, realizar um exame de sangue para medir a concentração da vitamina em seu corpo.

Para quem está evitando ir ao médico durante a pandemia, basta sentar-se ao sol por meia hora, mesmo dentro de casa. Procure evitar horários de pico de luz solar (entre 10h e 16h), quando a radiação ultravioleta causa maiores problemas à pele.

Loading...
Revisa el siguiente artículo