logo

A cada dia novos estudos confirmam a importância da alimentação para a saúde e a longevidade. Hoje vou falar dos pontos comuns na alimentação nas regiões que concentram a maior população acima de 100 anos no planeta, as Blue Zones (Okinawa, no Japão, Sardenha, na Itália, Ikaria, na Grécia, Loma Linda, na Califórnia-EUA e Nicoya, na Costa Rica). O pesquisador Dan Buettner, criador do projeto Blue Zones, conta tudo em detalhes no livro Zonas Azuis: A Solução Para Comer e Viver Como os Povos Mais Saudáveis do Planeta.

1 – MAIS VEGETAIS.
95% da alimentação nessas regiões é de origem vegetal: a chamada Whole Food Plant Based Diet, ou dieta integral baseada em vegetais.

2 – MENOS CARNE VERMELHA.
Os habitantes das Blue Zones não costumam comer carne de boi. Comem frango, cordeiro ou porco, em pequenas porções, no máximo duas vezes por semana.

3 – MAIS PEIXE.
Eles consomem pequenas porções de peixe de duas a três vezes por semana.

4 – MENOS LATICÍNIOS.
O leite de vaca não é muito popular entre as populações mais longevas. Eles comem iogurte de fermentação natural sem adição de açúcar algumas vezes na semana. Queijos de cabra e de ovelha têm destaque na Grécia e na Sardenha.

5 – OVOS COM MODERAÇÃO.
No máximo três por semana.

6 – FEIJÃO TODO DIA.
Leguminosas são a base de todas as dietas das Blue Zones: feijão preto, feijão branco, grão-de-bico, lentilha, soja.

7 – MENOS AÇÚCAR.
Os centenários só comem doce em comemorações. Eles não adicionam açúcar aos alimentos e usam mel para adoçar o chá.

8 – CASTANHAS NO LANCHE.
Eles comem um punhado de castanhas todo dia: nozes, amêndoa, amendoim, castanha de caju e do pará (sem sal, é lógico)

9 – PÃO, SÓ INTEGRAL OU DE FERMENTAÇÃO NATURAL.

10 – ALIMENTOS INTEGRAIS.
Comida de verdade, que tem como base um único ingrediente, cru, cozido, moído ou fermentado e minimamente processado.


Siga nas redes sociais:
Facebook | Instagram | YouTube | Biolinky

Colunas anteriores:
Lugares onde as pessoas vivem mais têm vida simples e comida natural
Vamos variar o almoço?