Social

Idosa de 86 anos é presa ao tentar furtar 1kg de arroz; não tinha o que comer

Policiais tentaram intervir no caso da mulher, porém foram ameaçados de denúncia formal

Idosa de 86 anos é presa ao tentar furtar 1kg de arroz

O caso de uma idosa de 86 anos, de Risaralda, na Colômbia, abriu um verdadeiro debate recentemente nas redes depois que ela foi detida por tentar furtar três libras de arroz, o equivalente a pouco mais de 1kg, para poder comer.

Segundo informações compartilhadas pelo portal Publimetro, após notarem a tentativa de furto, funcionários da segurança do supermercado proibiram a saída da mulher e acionaram a polícia.

Ao chegar ao local, os oficiais avaliaram a situação e indicaram para o os responsáveis pelo estabelecimento que não era apropriado levar a mulher para a delegacia.

Não teve alternativa

Mesmo com o apelo dos policiais, o administrador do estabelecimento manteve seu posicionamento e disse que caso não realizassem a detenção da idosa, ele prestaria queixa à Procuradoria Geral da República. Devido a isso, o caso foi notificado imediatamente ao Ministério Público que ordenou que ela fosse encaminhada para a delegacia.

Por fim, pouco tempo após a detenção, o caso ganhou ampla repercussão nacional em veículos de comunicação e nas redes, com a maioria pedindo piedade e para que a idosa não fosse encaminhada para um centro de detenção devido a sua avançada idade.

Outro caso na Colômbia

Uma adolescente de 14 anos, cuja identidade foi preservada, denunciou um padre de 45 anos, de Tolima, na Colômbia, após encontrar fotos (com conteúdo sexual) dela e da irmã, de 7 anos, em um computador, o que seria uma prova da acusação de abuso sexual do líder religioso praticado contra as menores.

A jovem teria encontrado as imagens em um computador pertencente ao padre do município e com isso avisou a mãe.

Padre é acusado de abusar de irmãs de 7 e 14 ano

Devido ao conteúdo encontrado, o homem de 45 anos foi acusado de crimes sexuais contra as duas irmãs, de 7 e 14 anos.

Segundo informações compartilhadas, o Ministério Público afirma que os abusos vinham acontecendo desde 2019 e ressalta que as provas comprovariam tal acusação.

O padre se encontra agora em prisão preventiva em um centro de detenção enquanto o processo contra ele está em andamento. O líder religioso aguarda agora o julgamento.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos