Foco

Esfaqueada em Búzios: saiba como cão ajudou polícia a identificar suspeito de matar argentina

Irmã da vítima chegou ao Brasil para fazer liberação do corpo, que deverá ser sepultado em Buenos Aires

Cão foi deixado junto ao corpo e reagiu ao ver suspeito

O cachorro Tronco teve uma reação importante que ajudou a polícia a capturar o suspeito de matar a facadas a argentina Florencia Aranguren, de 31 anos, achada sem vida em uma trilha que dá acesso à praia de José Gonçalves, na cidade de Armação dos Búzios, no Rio de Janeiro. Segundo a Guarda Civil Municipal, o cão, que foi deixado ao lado do corpo da vítima, preso à coleira e sujo de sangue, ficou nervoso ao ser “apresentado” ao homem e latiu. Exames periciais comprovaram a autoria do crime e ele foi preso em flagrante.

O caso aconteceu na manhã de quarta-feira (6). Segundo a investigação, Florencia tinha se mudado há apenas três dias para Búzios. Naquela data, estava passeando com seu cachorro pela trilha, quando foi assassinada. Um morador que passava pelo local encontrou o corpo e acionou a polícia.

Ao analisar imagens de câmeras de segurança da região, a polícia identificou um suspeito que estava de bicicleta e seguiu na trilha logo depois da argentina. O homem acabou preso poucas horas após o crime em um condomínio nas proximidades. No momento em que foi capturado, tentava lavar manchas de sangue do corpo.

A polícia diz que o homem apresentava vários arranhões em seu corpo, marcas de luta corporal, além de sangue na cueca. Após ser preso, ele foi levado até a cena do crime, onde um guarda municipal especialista no trabalho com cães o mostrou ao cachorro da vítima, que ficou nervoso e começou a reagir contra ele.

A identidade do suspeito não foi revelada, mas, segundo a corporação, ele tem 32 anos e já possui antecedentes criminais pelos crimes de furto e lesão corporal. O caso foi registrado como homicídio e segue em investigação na 127ª Delegacia de Polícia, em Búzios.

Uma irmã de Florencia chegou ao Brasil nesta quinta-feira (7) para fazer a liberação do corpo dela no Instituto Médico Legal (IML). A previsão é que ele seja levado para o sepultamento em Buenos Aires, na Argentina, mas ainda não há previsão de quando isso vai ocorrer.

Suspeito foi preso em flagrante

Quem era a argentina?

Florencia estava em Búzios, onde pretendia morar, há apenas três dias, segundo relato de amigos. Naquela manhã, decidiu passear com o cachorro, quando foi morta.

Nas suas redes sociais, ela dizia ser fã de rock e arte surrealista, sendo que postou imagens de alguns dos desenhos que produzia. Ela também aparecia fazendo acrobacias.

Um dia antes de ser assassinada, ela esteve em uma clínica veterinária com seu cachorro. Karoline Brasil, dona do estabelecimento, contou ao jornal “O Globo” que ela demonstrou muito carinho com o animal e faria um retorno na quarta-feira.

“Quando hoje de manhã vi a foto do cachorrinho ao lado do corpo na internet, logo escrevi para a amiga dela, que mora perto da Praia da Tartaruga. A amiga, que era considerada irmã, era o contato dela no Brasil. Pedi autorização para entregar o cãozinho à família. Ela voltaria hoje novamente para tratar o bichinho. Ontem ela foi lá, o cachorro fez os testes de Dirofilariose Canina (também conhecida como “verme no coração”). Os testes deram negativo. Então, hoje ela retornaria para que o cão tomasse injeção. Quando cheguei à clínica, soube que alguém tinha atacado uma moça no bairro. É impossível não se comover”, lamentou.

Segundo a polícia, apesar de ter sido achado ao lado do corpo da dona todo ensanguentado, Tronco não estava ferido. Agora, ele está sob os cuidados de uma amiga de Florencia.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos