Foco

“Eu fiz à força e com raiva”: Thiago Brennand admite estupro em áudio e faz ameaças à vítima

Empresário, que responde por vários crimes sexuais, pressionou mulher a retirar denúncia contra ele

Ele segue detido nos Emirados Árabes

O empresário Thiago Brennand, que responde a processos por crimes sexuais, lesão corporal, tortura e cárcere privado, admitiu em um áudio que estuprou uma mulher e ainda fez ameaças contra a vítima. As mensagens, gravadas por telefone em agosto de 2021, foram divulgadas pelo site UOL nesta segunda-feira (4).

“Eu fiz [sexo] à força e com raiva, não fiz?”, Brennand perguntou à mulher. “Fez”, ela respondeu. “E você dizendo ‘não, não’, eu fiz com raiva. Beleza. Tá certo. Eu assumo”, completou o empresário.

A vítima em questão é uma produtora de Pernambuco, que mora nos Estados Unidos, e conheceu Brennand nas redes sociais em julho de 2021. Na época, ela viajou até São Paulo, onde se encontrou com o empresário e diz que foi estuprada. Depois disso, em agosto, começou a gravar as conversas que tinha com ele.

Veja trechos da conversa divulgada pelo UOL:

  • Brennand – Na hora que você disse “não”, eu te ameacei e disse que ia te quebrar?
  • Vítima – Não.
  • Brennand – Outra coisa, por exemplo, eu botei uma arma na sua cabeça?
  • Vítima – Não.
  • Brennand – Pois é, mas eu fiz à força e com raiva, não fiz?
  • Vítima – Fez.
  • Brennand – E você dizendo “não, não”, eu fiz com raiva. Beleza. Tá certo. Eu assumo.

Depois disso, em outro trecho, o empresário prometeu que iria à polícia explicar o que tinha acontecido e garantiu que “nunca mais” agrediria a mulher.

  • Vítima – Você promete nunca mais bater em mim?
  • Brennand – Prometo. Dou minha palavra. Dou minha palavra. Na frente de quem quiser aí.
  • Vítima – Não, não quero que ninguém fique sabendo que você bateu em mim.
  • Brennand – Mas eu quero. Eu faço questão. Não quero sair daí [Recife] com a coisa suja, não. Quero conversar com quem fez o BO, quero dizer o que houve. Quero “come clean” [esclarecer].

Ameaças

O tom da conversa mudou na sequência e Brennand passou a ficar agressivo e ameaçar a mulher. Ele disse que, se ela não retirasse a queixa de estupro contra ele, iria divulgar o vídeo da relação sexual entre eles.

  • Brennand – Você está confundindo as bolas. Uma coisa é você estar com dor no sexo anal, outra coisa é uma pessoa estar fazendo sexo não consensual. Presta atenção no que você diz, porque é perigoso o que você diz.
  • Brennand – Você teve um episódio na minha casa. Tudo bem que eu fodi com você pesado, tá? Tudo bem que quando você me afrontou, me chamou de mentiroso, eu te dei um tapa. Tudo bem, cara. Eu poderia me desculpar a vida inteira por aquilo ali, tá certo. Mas, não, você se mantém lá e me agride pelas costas.
  • Brennand – Eu tenho o sexo todo gravado. Você quer ser desmoralizada em público?

Depois dessa conversa, o empresário convenceu a mulher a ir à delegacia para desmentir um boletim de ocorrência aberto pelo irmão dela por estupro. Ela desmentiu, mas depois voltou atrás. No fim, o caso acabou arquivado à época. Agora, o homem ainda aguarda uma decisão judicial a respeito da denúncia.

A defesa de Brennand não foi encontrada para comentar sobre o assunto até a publicação desta reportagem.

Ele virou réu por agredi-la em uma academia de luxo

Condenações

Em novembro passado, Brennand foi condenado pelas agressões cometidas contra a modelo Helena Gomes, em agosto de 2022, em uma academia de luxo, em São Paulo. Ele pegou um ano e oito meses de prisão, em regime semiaberto, além de ter que indenizar a vítima em R$ 50 mil por danos morais.

Apesar da condenação definir o cumprimento da pena no regime semiaberto, no qual o detento pode sair para trabalhar e estudar e voltar para dormir no presídio, Brennand seguirá em regime fechado, pois, no início de outubro deste ano, já tinha sido condenado a 10 anos e 6 meses de prisão pelo crime de estupro em regime fechado. Ele terá ainda que indenizar a vítima, uma norte-americana que vive no Brasil, em R$ 50 mil.

Segundo a mulher, ela conheceu Brennand ao tentar comprar um cavalo e foi estuprada na mansão do empresário, em um condomínio da cidade e forçada a fazer sexo anal sem consentimento, o que a levou a ter sangramentos por mais de duas semanas.

Além desse processo, os outros dois que estavam em andamento foram encerrados após acordos com as vítimas. Um era sobre injúria cometida contra um garçom e outro por ameaças contra um caseiro do condomínio de luxo onde o empresário morava.

Mas o empresário enfrenta ainda enfrenta três processos em Porto Feliz, no interior de São Paulo. Ainda não há data definida para ele ser julgado pelos demais crimes dos quais é acusado.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos