Foco

‘A Menina que Matou os Pais’: saiba o que aconteceu com Suzane Richthofen e os irmãos Cravinhos

Terceiro filme sobre o crime voltou a atrair atenção para o caso, ocorrido há mais de 20 anos

Crime ocorreu há mais de 20 anos

O longa “A Menina que Matou os Pais - A Confissão” estreou recentemente no Amazon Prime Video e voltou a atrair a atenção para a história de Suzane Richthofen, que foi condenada por matar os próprios pais, Marísia von Richthofen e Manfred Albert. Ela teve ajuda dos irmãos Cravinhos, que também foram condenados pelo caso, ocorrido há mais de 20 anos (saiba como eles estão atualmente abaixo).

O terceiro filme sobre o crime, baseado em fatos reais, promete completar a narrativa apresentada nas duas produções anteriores. O roteirista Raphael Montes revelou o quanto a ex-presidiária e os irmãos Cravinhos ganharam pelo longa. “Não houve contato entre a produção e Suzane Von Richthofen, Daniel e Cristian Cravinhos nem seus familiares. Os envolvidos no caso não fazem parte nem contribuem para o filme”, escreveu o roteirista, em postagem nas redes sociais.

O roteirista também contou que o filme teve como base o processo judicial. “O filme é uma adaptação de uma história real baseada exclusivamente nos depoimentos transcritos nos autos do processo. Esses autos são públicos”, esclareceu.

Recomendados

Interpreta Suzane no filme a atriz Carla Dias, que tem sido muito elogiada por seu desempenho. Em um vídeo que circula nas redes sociais, ela aparece ao lado dos outros atores durante uma preparação para o longa e chamou a atenção dos internautas (veja abaixo).

Morte do casal Richthofen

Segundo a Justiça, Suzane Richthofen planejou a morte dos próprios pais e teve a ajuda do então namorado, Daniel Cravinhos, e do irmão dele, Cristian Cravinhos, para a execução do casal. O crime ocorreu no dia 31 de outubro de 2022.

Logo depois do início das investigações, a jovem foi presa. Em 2006, ela foi julgada e condenada a 39 anos e seis meses de prisão em regime fechado. No entanto, entrou com vários pedidos de revisão e conseguiu reduzir o tempo para 34 anos e 4 meses de prisão. A previsão é que ela, que está em regime aberto desde o início deste ano, cumpra a sentença no dia 25 de fevereiro de 2038.

Já Daniel Cravinhos foi condenando a 39 anos e seis meses de prisão em regime fechado. No entanto, a progressão para o regime semiaberto ocorreu em 2013 e para o aberto em 2018. Logo depois, ele retornou ao regime fechado e ficou mais três meses preso, por envolvimento com tráfico de produtos restritos a hospitais dentro da cadeia.

Cristian Cravinhos, que é o irmão mais velho de Daniel, foi condenado a 38 anos e seis meses de prisão em regime fechado. Em 2017, recebeu a progressão para o aberto, mas, em 2018, voltou para o presídio pelo crime de corrupção.

Como estão os condenados atualmente?

A primeira vez que Suzane deixou a Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé, no interior de São Paulo, foi em março de 2016, depois de conquistar o regime semiaberto e ter direito a uma saída temporária de Páscoa. Em setembro do ano passado ela obteve mais uma “saidinha temporária”, quando chamou a atenção por conta da aparência. Bem vestida, ela virou alvo de várias publicações nas redes sociais.

Ela tentava obter a progressão desde 2017 para o regime aberto, mas até então todos os pedidos tinham sido negados. No início deste ano ela finalmente conseguiu o benefício.

Ela já vende até para o Japão

Depois que saiu da prisão, Suzane passou a morar em Angatuba, também no interior de São Paulo. Além de cursar biomedicina em uma faculdade particular, ela também prestou o concurso público da Câmara Municipal de Avaré, visando uma vaga como telefonista.

Além disso, se tornou uma empreendedora. Ela abriu um cadastro de Microempreendedor Individual (MEI) no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Angatuba como dona de um ateliê de costura.

Chamado “Su Entre Linhas”, a página do comércio no Instagram já acumula quase 30 mil seguidores. Ela não tem loja física, apenas comercializa as peças pela internet e tem clientes até no exterior.

Agora, segundo revelações do jornalista Ulisses Campbell, autor de sua biografia, ela está grávida de uma menina e já mora com o namorado, Felipe Zecchini Muniz, em Bragança Paulista. O namorado dela, inclusive, já enfrenta problemas por conta do relacionamento. Além de perder o cargo de chefia em um hospital, a família dele não teria aceitado muito bem o namoro.

Já Daniel Cravinhos, que hoje está com 42 anos, se casou com a biomédica Alyne Bento, filha de uma agente penitenciária, em 2014, quando mudou seu sobrenome para “Bento”. Eles ficaram juntos até o ano passado, quando se separaram. Atualmente, Daniel trabalha com moto velocidade, pilotando e customizando motos na Zona Sul de São Paulo.

Christian Cravinhos, por sua vez, cumpria pena em regime semiaberto desde 2018, mas voltou para a P2 de Tremembé no ano passado, após tentar subornar policiais militares ao se envolver em uma briga. Depois, foi absolvido da acusação de posse ilegal de munição, mas a condenação por tentativa de suborno foi mantida.

Em 2020, ele voltou a ficar em evidência, quando entrou na Justiça pedindo uma indenização de R$ 500 mil por danos morais, por ter fotos dele usadas na série “Investigação Criminal”. Porém, o pedido foi negado.

Ele foi condenado pela morte do casal Richthofen

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos