Foco

Grávida de médico, Suzane Richthofen já teria definido nome da filha e escolha gera revolta

Biógrafo confirmou que ela está de 14 semanas de gestação e se mudou para a casa do namorado

Ela ainda não se pronunciou oficialmente

O jornalista Ullisses Campbell, autor da reedição da biografia “Suzane: Assassina e Manipuladora”, confirmou que Suzane Richthofen, de 39 anos, está grávida de 14 semanas. Ela já teria, inclusive, escolhido o nome da filha: Isabela. O biografo fez as declarações ao “Portal Leo Dias” e destacou que confirmou a informação com pessoas próximas à ela e parentes do pai da menina (saiba mais sobre ele abaixo).

Após a revelação de Campbell sobre a escolha do nome, muitas pessoas repercutiram nas redes sociais, fazendo referência ao caso Isabella Nardoni. Suzane ficou no mesmo presídio que Anna Carolina Jatobá, madrasta que foi condenada pela morte da menina, asfixiada e jogada de um prédio em São Paulo, em 2008.

Apesar da afirmação de Campbell sobre a gestação e escolha do nome, a própria Suzane e sua defesa ainda não se pronunciaram oficialmente.

Recomendados

Descoberta da gestação

Condenada pela morte dos próprios pais, Suzane cumpre pena em regime aberto desde janeiro deste ano, quando passou a morar em Angatuba, também no interior de São Paulo. Além de cursar biomedicina em uma faculdade particular e vender na internet produtos de seu ateliê de costura, ela também prestou o concurso público da Câmara Municipal de Avaré, visando uma vaga como telefonista.

Segundo o biógrafo, Suzane teria passado muito mal durante um campeonato de motocross, em julho passado, quando foi submetida a exames e descobriu a gestação.

O pai do bebê foi apontado como sendo o médico Felipe Zecchini Muniz, de 40 anos. Os dois teriam se conhecido pela internet e ela já estaria, inclusive, morando na casa dele em Bragança Paulista, também no interior paulista.

Por conta da gestação, a Matrix Editora teve que pausar a impressão da biografia para que a informação fosse incluída. Mas os trabalhos já foram retomados e a obra deve ser lançada no próximo dia 15 de setembro, integrante de uma coleção intitulada “Mulheres Assassinas”.

Quem é o namorado de Suzane?

Felipe Zecchini Muniz é formado em medicina e trabalha como intensivista em um hospital em Bragança Paulista. Ele também ocupava um cargo de chefia em outra unidade hospitalar, mas, segundo Campbell, foi demitido depois que a direção descobriu sobre o namoro dele com Suzane.

Mas os problemas do médico não se resumem ao campo profissional. Conforme o biógrafo, o homem é pai de três filhos, frutos de um relacionamento anterior. A ex-esposa dele não teria aceitado bem o romance e disse que não quer que “as crianças convivam com uma mulher que matou os pais na calada da noite”.

Os pais do médico também não estariam felizes com o namoro, ainda mais pelo fato dele ter tido problemas profissionais. Campbell revelou, ainda, que os moradores do condomínio de Muniz perceberam a presença da jovem condenada com estranheza.

“A assassina tem chocado a pacata população local ao fazer caminhadas matinais na calçada do lago Taboão, um ponto turístico do município”, ressaltou o jornalista.

Condenada por matar os pais

Suzane está presa desde 2002. Ela foi inicialmente condenada a 39 anos e seis meses de prisão por participação no assassinato dos pais, o engenheiro Manfred Albert e a psiquiatra Marísia von Richthofen, atacados dentro de casa com golpes de uma barra de ferro. Segundo a Justiça, ela planejou o crime e teve a ajuda do então namorado, Daniel Cravinhos, e do irmão dele, Cristian Cravinhos, para a execução do casal.

No entanto, apesar da pena estabelecida na condenação, ela entrou com vários pedidos de revisão e conseguiu reduzir o tempo para 34 anos e 4 meses de prisão. A previsão é que ela cumpra a sentença no dia 25 de fevereiro de 2038.

Desde que foi presa, a primeira vez que ela deixou o presídio foi em março de 2016, depois de conquistar o regime semiaberto e ter direito a uma saída temporária de Páscoa. Em setembro do ano passado ela obteve mais uma “saidinha temporária”, quando chamou a atenção por conta da aparência. Bem vestida, ela virou alvo de várias publicações nas redes sociais.

Ela tentava obter a progressão desde 2017 para o regime aberto, mas até então todos os pedidos tinham sido negados. No início deste ano ela finalmente conseguiu o benefício.

Ela já vende até para o Japão

No novo regime de liberdade, Suzane tem que seguir algumas regras. Durante o dia, pode sair e até trabalhar, mas à noite tem que se recolher em uma casa de albergado, determinada pela Justiça. Caso ela decida mudar de endereço novamente, terá que antes obter autorização do Poder Judiciário.

Depois que deixou o presídio, Suzane decidiu se tornar uma empreendedora. Ela abriu um cadastro de Microempreendedor Individual (MEI) no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Angatuba como dona de um ateliê de costura.

Chamado “Su Entre Linhas”, a página do comércio no Instagram já acumula quase 30 mil seguidores. Ela não tem loja física, apenas comercializa as peças pela internet e tem clientes até no exterior.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos