Foco

Ameaçada, estuprada e morta: como foram os últimos momentos da estudante que sumiu em Planaltina

Principal suspeito foi preso e alegou à polícia que sua intenção era roubar bicicleta da vítima

Sérgio Alves confessou ter matado a estudante Regiane da Silva
Sérgio Alves confessou ter estuprado e matado a estudante Regiane da Silva, de 21 anos (Reprodução/PCDF)

ANÚNCIO

O principal suspeito pela morte da estudante Regiane da Silva Oliveira, de 21 anos, em Planaltina, no Distrito Federal, confessou o crime ao ser preso, mas alegou que sua intenção era roubar a bicicleta da vítima. No entanto, ele a ameaçou com uma faca, a levou até uma área mais afastada, onde a estuprou. Além disso, o homem revelou que passou a noite mantendo a jovem sob custódia e decidiu matá-la na manhã seguinte.

ANÚNCIO

O corpo de Regiane, que ficou cerca de 10 dias desaparecida, foi encontrado enterrado às margens do Rio São Bartolomeu, no Setor Tradicional de Planaltina.

No local também estava a mochila que ela usava quando tinha acabado de deixar a escola noturna, de bicicleta, no bairro do Centrão, quando foi abordada pelo assassino. Na mesma região, a polícia tinha achado uma mecha de cabelo vermelho, uma calcinha e uma pulseira, que eram da vítima.

O caso continuou a ser investigado e, segundo reportagem do site G1, os policiais conseguiram imagens de câmeras de segurança no dia do crime. Em uma delas, Sérgio apareceu caminhando próximo à ponte onde o GPS do celular da vítima registrou a última localização.

O suspeito foi preso na noite quarta-feira (26) em Planaltina de Goiás, cidade goiana que fica no Entorno do DF, depois de ter assaltado um comerciante local pra roubar carteira e celular. Antes de ser capturado, o homem tentou se matar com uma facada no pescoço, mas foi levado ao hospital.

Lá ele confessou ter estuprado e matado Regiane e indicou o local onde o corpo havia sido enterrado. O homem disse que a fez caminhar por cerca de 5km, sob a mira da faca, até o ponto onde foi estuprada e morta.

O delegado da 16ª Delegacia de Polícia, Thiago Oliveira, revelou que o suspeito estava preso recentemente por outro estupro. Ele foi beneficiado por uma “saidinha” no começo de abril e não retornou mais ao presídio. Agora, ele vai responder pelos crimes de roubo, estupro, homicídio e ocultação de cadáver.

ANÚNCIO

Buscas continuam
Regiane da Silva Oliveira, de 21 anos, sumiu após sair de aula em escola, em Planaltina, no Distrito Federal (Reprodução/Redes sociais)

O desaparecimento

Regiane foi vista pela última vez na noite do último dia 17, quando saiu da aula no programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Centro de Ensino Médio (CEM), em Planaltina. Como não voltou para casa e não respondeu mais à mensagens e telefonemas, os familiares denunciaram o sumiço da jovem.

Buscas começaram a ser realizadas no bairro Nossa Senhora de Fátima, quando os agentes fizeram uma varredura nas imediações da escola e em um córrego que fica na região. Foi aí que encontraram alguns itens, que eram de Regiane.

Uma testemunha afirmou ter visto a jovem com um rapaz em uma dos bares de Planaltina e a polícia trabalhava para determinar quem era esse homem.

Regiane chegou em Brasília há cerca de seis meses vinda da Bahia e morava com sua irmã na região de Planaltina.

LEIA TAMBÉM:

ANÚNCIO

Recomendado:

Tags


Últimas Notícias