Foco

Professor é demitido de colégio após usar tirinha e ser acusado de ensinar alunos ‘a odiar a polícia’

Caso aconteceu em escola particular, em Goiânia. Estudantes protestaram após demissão do docente

O professor de sociologia Osvaldo Machado da Silva Neto, 41 anos, foi demitido de um colégio particular, em Goiânia, por ter utilizado em uma prova uma tirinha do cartunista André Dahmer. Ele foi acusado de “doutrinar” os alunos para que “odeiem a polícia” (veja a tirinha abaixo).

A tirinha em questão foi originalmente publicada no jornal “Folha de S.Paulo”. Nela, um dos personagens aparece lendo um jornal e comenta sobre um assalto ocorrido na capital paulista. Em seguida, ele diz: “Ainda bem que temos a polícia para combater a violência em prol...”, mas finaliza com a frase “...da barbárie”.

O caso ganhou repercussão nas redes sociais após uma postagem do blogueiro Gustavo Gayer, na última segunda-feira (27). No vídeo, ele acusa o professor de usar a tirinha para “doutrinar os alunos”. “O professor de sociologia ensinando para os jovens que a polícia causa barbárie. Odeia a polícia, nas ama os bandidos”, disse na gravação (assista abaixo).

Assim, na terça-feira (28), o professor disse que foi chamado pela diretoria do Colégio Visão e demitido. Em entrevista ao jornal “Correio Brasiliense”, ele explicou que trabalhava na instituição há seis anos e que usou a tirinha em questão em uma prova de recuperação, que foi aplicada para apenas seis alunos. O professor destacou que comunicou a direção da escola sobre o uso do material e que não recebeu manifestação contrária.

“Esse vídeo [do blogueiro] produziu enorme desconforto. A questão na prova, com a utilização da tirinha, não era sobre a polícia ou bandido, mas sobre o aspecto do estado”, explicou Neto. “No dia seguinte, percebi algo estranho. A diretora me chamou e, depois da aula, quando me apresentei, foi surpreendido com o anúncio da demissão. Considerei o motivo desproporcional”, afirmou o professor na entrevista.

Em nota enviada ao G1, o Colégio Visão destacou que “possui um código de conduta que veda manifestações políticas, partidárias ou ideológicas em ambiente escolar”. Ainda de acordo com o comunicado, “a direção do Colégio mantém um canal de diálogo aberto com alunos e familiares, sempre pautando suas ações no Código de Conduta”.

Neto leciona em outro colégio particular de Goiânia e disse que lá foi acolhido por professores e diretores. “Me acolheram, disseram que nada ocorreria em função desse episódio lamentável. Fui vítima da ideia de escola sem partido, de violência psicológica e econômica, mas saio de cabeça erguida, com o apoio de pais, alunos e professores do colégio que me demitiu”, lamentou.

Repúdio

Após a demissão do professor, alunos promoveram uma manifestação no Colégio Visão na quarta-feira (29) e questionaram os motivos da demissão. Eles imprimiram a tirinha e espalharam pelos corredores da instituição de ensino.

O próprio cartunista André Dahmer, autor da tirinha, se manifestou nas redes sociais sobre o episódio. “O colégio Visão não sabe, mas meu trabalho aparece com frequência em concursos públicos e vestibulares. Em 2011, um dos meus quadrinhos foi tema de redação do ENEM”, destacou ele.

O Sindicato dos Professores do Estado de Goiás (Sinpro) também publicou uma nota de repúdio e afirmou que as críticas ao uso da tirinha foram feitas “com evidente distorção da finalidade da questão cobrada na prova de sociologia”. O órgão afirmou que a demissão do profissional após as críticas “causa preocupação e repulsa em toda a categoria dos professores [...] que podem ser tolhidos em clara condição de perseguição política e social”.

LEIA TAMBÉM:

Inscrições para o 2º processo seletivo de 2022 do Sisu terminam hoje

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos