Foco

Procuradora espancada por colega em prefeitura diz que ‘tinha medo’ dele; vídeo mostrou agressão

Procurador atacou a vítima por causa da abertura de processo disciplinar contra ele

A procuradora-geral Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, que foi agredida pelo também procurador Demétrius Oliveira Macedo, de 34, dentro da Prefeitura de Registro, no interior de São Paulo, contou que “tinha medo” do agressor. Um vídeo que circula em redes sociais mostrou o momento em que o homem dava socos enquanto a mulher estava no chão (veja abaixo). As imagens são fortes.

“Eu tinha medo, sim. Tinha medo de que fosse acontecer isso, mas não imaginava que fosse ser uma violência física, achava que fosse um ‘bate boca’, uma discussão”, relatou Gabriela em entrevista à TV Tribuna, emissora afiliada da TV Globo.

O caso aconteceu na última segunda-feira (20), por volta das 16h50, quando a vítima estava dentro da sala da Procuradoria Geral de Registro. Nas imagens ainda é possível ver que outras colegas de trabalho tentaram segurar Demétrius enquanto ele agredia e xingava a mulher, sem sucesso.

Gabriela contou que o motivo da agressão foi a abertura de um processo administrativo contra o procurador por conta de sua postura no ambiente de trabalho.

Após a violência, o agressor chegou a ser levado ao 1º Distrito Policial (DP) do município, onde foi registrado um boletim de ocorrência. Em seguida, ele foi liberado.

O procurador não foi encontrado para comentar o caso até a publicação desta reportagem.

Gabriela Samadello Monteiro de Barros foi agredida por outro procurador

As agressões

Gabriela contou no depoimento à polícia que estava trabalhando, quando foi surpreendida com uma cotovelada dada por Demétrius. Em seguida, ele passou a lhe dar socos no rosto.

“Eu estava saindo da repartição quando ele veio em direção a mim de forma violenta e me desferiu uma cotovelada. Fui arremessada contra a parede. E ele começou a bater muito em mim, desferir muitos golpes. Socos e pontapés. Chutou muito o meu rosto”, relatou a vítima.

Ela aponta ainda que uma funcionária da prefeitura ainda tentou segurar Demétrius, mas acabou sendo empurrada. “Ela ficou prensada contra a porta. Levantei cambaleando, ele desferiu mais um soco no rosto. Consegui escapar para a sala da Thais, que é nossa outra colega procuradora. Ela trancou a porta, e ai chegaram as outras pessoas da sala ao lado, que ouviram meus gritos de socorro”, contou.

“Foi exposta a minha dignidade. Como mulher, fui desrespeitada, assim como servidora pública. Enfim, foi um desrespeito global da minha personalidade como mulher”, concluiu a vítima.

Em nota, a Prefeitura de Registro disse que o procurador foi afastado de suas funções e lamentou as agressões.

“A Prefeitura de Registro manifesta o mais absoluto e profundo repudio aos brutais atos de violência realizados pelo Procurador Municipal contra a servidora municipal mulher que exerce a função de Procuradora Geral do Município, fatos ocorridos na última segunda-feira (20/6). Que a vítima e sua família recebam toda nossa solidariedade, apoio e cada palavra de conforto e acolhimento”, diz o texto.

“A administração municipal está tomando as providências necessárias e já determinou de imediato que o agressor seja suspenso, nos termos do art. 179, c/c inc. III do art. 180, ambos da Lei Complementar nº 034/2008 – Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Registro, com prejuízo de seus vencimentos, a partir de 21 de junho. Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres.”

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos