logo

Você possivelmente já deve ter se perguntado sobre quais são suas habilidades e o que gosta de fazer, não é mesmo? Mas e se disséssemos que seu maior talento pode ser “fazer nada”?

Para quem está se perguntando se isso é possível, um homem japonês há cerca de 2 anos tem “ganhado a vida” fazendo justamente isso: nada.

Trata-se de Shoji Morimoto, 37, graduado em Física e com pós-graduação em terremotos, que desde 2018 atua neste novo “ramo” e que rende cerca de 10.000 ienes japoneses, o equivalente a 100 dólares por trabalho feito.

 

Leia também:

 

E como funciona na prática?

Em entrevista à BBC, Shoji relatou que embora sua atuação seja fazer nada, ele recebe diversos pedidos, sendo em sua maioria, pessoas que não querem comer sozinhas em restaurantes ou até mesmo ir ao supermercado sem companhia.

Dentre as situações mais diversas a qual já foi contratado, Morimoto contou que uma vez solicitaram seus serviços para ser uma espécie de motivador a uma pessoa para que ela pudesse concluir uma maratona. “Ele me disse que achava que eu não conseguiria terminar a corrida e decidiu me contratar para aumentar sua motivação. No final, ele terminou a maratona e foi premiado com uma medalha”.

Embora tudo seja custeado pelos “clientes”, incluindo alimentação, transporte, etc, Shoji vê um aspecto bastante positivo em sua atuação e no impacto que isso traz à estas pessoas. “Eles me dizem que é libertador poder falar com alguém sobre coisas que eles não são capazes de dizer aos outros. Eles se sentem melhor liberando coisas que por si só pesam sobre eles”. Ele ainda acrescentou: “Fico pasmo ao ver que tantas pessoas encontram satisfação em contratar alguém que não faz nada”.

Por fim, para quem está se questionando se o que ganha é suficiente para sobreviver, de acordo com o homem, a resposta é sim (Com T13).