logo
Praia de Santos no último feriado de Nossa Senhora | / Guilherme Dionizio/Folhapress
Foco 29/10/2020

Feriado chega com queda nos óbitos e alerta para 2ª onda

Muita calma nessa hora. Média móvel de óbitos fica no menor patamar desde abril, abaixo de 100 por dia, mas proximidade com feriado prolongado faz governo pedir cautela à população

Com 91 óbitos por covid-19 na média móvel dos últimos sete dias, São Paulo atingiu na quarta-feira (28) o menor patamar desde abril, mas também ligou o alerta para a possibilidade de uma segunda onda de infecções às vésperas de mais um feriado prolongado e diante da proximidade com as festas de fim de ano.

A média móvel do número de mortes no estado está em queda desde 16 de setembro e já acumula redução de 44% nos últimos 30 dias. O índice, que já foi de mais de  250, baixou para 200, chegou a 119 semana passada e agora caiu para menos de 100.

Apesar da tendência de queda e da maior flexibilização das atividades, as autoridades reforçaram ontem que o estado segue em quarentena e pediram que a população continue a evitar comportamentos que podem levar ao aumento do número de casos, como tem ocorrido na Europa.

“É por isso que existe um trabalho para minimizar o risco de uma segunda onda, principalmente no fim de ano, que tem movimentação social muito intensa”, afirmou o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 no estado, José Medina.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

E será com reforço em todos esses alertas que o estado dará início hoje à operação Finados. É a primeira vez desde o início da pandemia que o governo divulga as ações para monitoramento das estradas, que estão voltando ao volume normal de tráfego e já têm registrado longos congestionamentos nos feriados prolongados.

Mesmo pedindo que as pessoas evitem viagens desnecessárias, o governo vai deslocar para as rodovias 21,5 mil policiais, 8 mil viaturas, 200 ambulâncias e 10 helicópteros. As fiscalizações da Lei Seca e para coibir o excesso de velocidade também serão reforçadas.

A ideia é também ganhar no grito, se for preciso. Além de todos esse recursos, o governo vai usar megafones para avisar a população sobre aglomerações em pontos turísticos, praias e restaurantes. O estado prevê que o trânsito nas estradas ficará mais pesado já a partir das 10h de amanhã.

Ônibus em versão antiviral

O governo do estado apresentou ontem os primeiros 12 ônibus antivirais da frota de 120 veículos que vai compor as linhas intermunicipais da Região Metropolitana de São Paulo. Os coletivos estão sendo chamados de antivirais porque são equipados com tecido que possui propriedades capazes de impedir a fixação de vírus na sua superfície, como os da influenza, herpes e também o novo coronavírus – que é inativado em apenas 30 segundos. As capas estão sendo colocadas nas áreas de maior contato, como bancos, balaústres e catracas. O projeto está sendo desenvolvido em parceria do governo com as empresas que operam as linhas.  

Tecido tem propriedades que impedem fixação de vírus |