logo

Depois de ultrapassar os índices da América do Norte (Estados Unidos e Canadá),  a América Latina e Caribe tornaram-se na segunda-feira (13) a segunda região com maior número de mortos por covid-19 no mundo – logo depois da Europa – e contabiliza ao menos 145 mil vítimas da doença. Os dados fazem parte de levantamento da Universidade Johns Hopkins, dos EUA. O continente europeu, primeiro colocado no ranking, registrou, até o momento, pelo menos 202 mil vítimas causadas pelo vírus Sars-Cov-2.

No início deste mês, a América Latina já havia ultrapassado o continente europeu em número total de infectados pela covid-19 e atualmente ocupa a primeira posição do ranking. A OMS (Organização Mundial da Saúde) pede atenção e diz que pandemia ainda não atingiu o pico na região.

Dados sobre pobreza

Em relatório divulgado ontem por cinco agências da ONU (Organização das Nações Unidas), entidades alertaram que, apesar de existir uma produção alimentar capaz de satisfazer toda a população mundial (7,8 bilhões de pessoas), cerca de 47 milhões passaram fome na região da América Latina e Caribe ano passado.

O índice, todavia, deve aumentar neste ano em virtude da pandemia. A previsão é de que a quantidade de pessoas passando fome nos países cresça de 83 milhões até 132 milhões.

Agências atribuem a baixa oferta de alimentos a falta de acesso à renda e conflitos internos.

Segundo José Ángel Gurría, secretário-geral da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), a pandemia fez com que o desemprego, pobreza extrema e informalidade ficassem ainda mais expostos com o distanciamento social e desaceleração econômica.

Gurría também afirma que pode haver neste ano um acréscimo de 18 milhões de latino-americanos vivendo na pobreza e de 16 milhões na pobreza extrema.