logo
Brasil
Brasil 24/11/2016

Calero diz à PF que Temer o pressionou no caso Geddel; presidente estranha acusação

Marcelo Calero disse que Temer o pressionou | Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Marcelo Calero disse que Temer o pressionou para liberar um empreendimento imobiliário | Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em depoimento espontâneo à PF (Polícia Federal) na quarta-fira, o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero acusou o presidente Michel Temer de também pressionar para a liberação de um prédio em Salvador (BA). Até então, a informação era de que as pressões teriam partido apenas do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima – que comprou um imóvel na obra, posteriormente embargada.

O ex-ministro afirmou ter sido chamado por Temer na última quinta-feira. O presidente teria dito que o episódio estava provocando ‘dificuldades operacionais’ ao gabinete e que Geddel estaria irritado. A sugestão foi encaminhar o caso para análise da AGU (Advocacia-Geral da União), que teria ‘uma solução’. Sentindo-se enquadrado, Calero pediu demissão. O depoimento foi divulgado pela “Folha de São Paulo”.

O porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, admitiu que Temer teve dois encontros com Calero, afirmou que o presidente sempre deu tratamento igualitário a todos os ministros e que desejava apenas ‘arbitrar conflitos’ para ‘solucionar o impasse’.

O depoimento foi encaminhado pela PF ao STF (Supremo Tribunal Federal), que, por sua vez, o encaminhou à PGR (Procuradoria Geral da República) –que avalia a abertura de um inquérito. A oposição usou a tribuna para pedir a abertura do processo de impeachment contra Temer.