Colunistas

Só uma taça de leite com pão e manteiga

lizemara-pratesEm meio às sucessivas denúncias de fraude envolvendo a qualidade do leite gaúcho, inicia-se no parque Assis Brasil, em Esteio, a Expoleite-Fenasul. É o mais tradicional evento envolvendo a pecuária leiteira no Estado. No parque, estão expostas vacas das raças jersey e holandês, responsáveis pela produção que chega às nossas mesas diariamente. O processo começa nas propriedades, sem interrupção, durante 365 dias por ano.

A ordenha ocorre ainda na madrugada e novamente no final do dia. Os animais são alimentados a pasto e recebem suplementação quando os campos raleiam, principalmente se houver seca ou geada intensa. O leite coletado vai para resfriadores e depois para caminhões tanque que o levam até as indústrias, onde são transformados em diferentes produtos, embalados e levados para pontos de venda. Todos os elos desta cadeia participam da exposição e discutem a crise gerada pela fraude que arranha a imagem de um produto tão nobre. Tirar leite é uma das atividades mais sacrificantes, porque mesmo com as ordenhadeiras mecânicas, é necessário recolher os animais no campo, de dia ou à noite, com chuva ou sol. Toda a dedicação tem o princípio de oferecer um produto de qualidade. Mas, no meio do caminho, algumas pedras podem desviar este propósito.

No mesmo caminho, estão os triticultores. Plantam trigo com intenção de fornecer farinha para o pãozinho apreciado pelos gaúchos. No meio da safra, uma mudança climática ou tecnológica pode comprometer a qualidade. E lá se vai o esforço. A área que começa a ser plantada com trigo no próximo dia 20, no Rio Grande do Sul, deve crescer 5%. A safra está estimada em 3,2 milhões de toneladas. A previsão é que 90% da área serão semeados com variedades que tem potencial para panificação. O ideal é que o trigo seja segregado, como forma de valorizar o tipo pão, preferido pelos moinhos que precisam oferecer um pãozinho padronizado durante os 7 dias da semana. Todas as semanas do ano.

Os consumidores esperam uniformidade nos produtos. Ninguém quer tomar um copo de leite azedo, nem comer uma casca de pão inflada de ar. Querem garantia de produto saudável. Leite puro e pãozinho fresco podem ser encontrados, ao lado de outras atrações gastronômicas na Expoleite-Fenasul até domingo, no parque de Esteio. E para saborear essas iguarias e ver campeãs de genética, não precisa pagar ingresso. A entrada na feira é gratuita. Bom passeio.

Lizemara Prates é jornalista do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Apresenta o AgroBand, na TV Band, e tem comentários diários sobre agronegócio na Rádio Bandeirantes e na BandNews FM. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos