Foco

Após curso de empreendedorismo, Lindemberg Alves pede redução da pena pela morte de Eloá Pimentel

Condenado a 39 anos de prisão pela morte da ex-namorada, Lindemberg solicitou a redução da pena por ter feito um curso de empreendedorismo na prisão.

Ele cumpre pena em Tremembé
Lindemberg Alves, que matou a ex-namorada, Eloá Pimentel, também foi beneficiado com saída temporária de fim de ano (Reprodução)

Lindemberg Alves, condenado pela morte de sua ex-namorada, Eloá Pimentel, entrou com um pedido na Justiça para que sua pena seja reduzida após ele ter estudado e feito um curso de empreendedorismo na prisão.

ANÚNCIO

Conforme publicado pelo G1, Lindemberg cumpre pena na P2 de Tremembé, onde outros presos envolvidos em casos de grande repercussão também cumprem suas penas. Ele foi preso em 2008 pelo assassinato da jovem Eloá Pimental, na região do ABC Paulista.

Segundo a publicação, o pedido ainda não foi avaliado pela Justiça, e pede a redução da pena em 109 dias. Destes, 107 são referentes a dias trabalhados na prisão entre os anos de 2021 e 2024, e outros 2 por ter realizado um curso de empreendedorismo pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no ano de 2022, também dentro da prisão.

Recomendados

Para a advogada de Lindemberg, Márcia Renata, a redução da pena por conta de estudo e trabalho é parte importante da ressocialização e ajuda a facilitar o retorno do preso à sociedade ao término de sua pena.

Atualmente, Lindemberg segue cumprindo pena no regime semiaberto e está usufruindo da primeira saída temporária de 2024, permitida a condenados que cumprem suas penas neste tipo de regime.

Relembre o caso Eloá

Em 13 de outubro de 2008, Lindemberg invadiu o apartamento em que morava sua ex-namorada, Eloá Pimentel, e manteve a jovem e uma amiga e dois colegas de escola reféns. Ao todo, Eloá ficou em cárcere privado por cinco dias, até que, em 17 de outubro, a polícia invadiu o local.

Antes da entrada da polícia no apartamento, Lindemberg baleou Nayara Rodrigues, amiga de Eloá, e deu dois tiros na ex-namorada, que veio a falecer.

Inicialmente, ele foi condenado a 98 anos de prisão, mas teve a pena reduzida a 39 anos em 2013. No fim de 2022 ele conseguiu a progressão da pena para o regime semiaberto.

Leia também: Nardoni e outros presos ‘ilustres’ deixam a cadeia na primeira saída temporária

Tags

Últimas Notícias