Foco

Médico é agredido com capacete após se recusar a dar atestado de 3 dias

Ele sofreu fratura no rosto e corte na altura da bochecha

Médico Diego Ferreira Santana, de 30 anos foi agredido a golpes de capacete

Um médico de Aragoiânia, na região Metropolitana de Goiânia, foi severamente agredido a golpes de capacete neste domingo, quando recusou dar atestado de trabalho de três dias a um paciente que havia machucado o joelho.

Diego Ferreira Santana, de 30 anos, disse que atendeu um jovem de 17 anos que teve uma lesão no joelho e estava com dor. Após fazer o curativo e ser medicado, o pai do jovem pediu um atestado de 3 dias, mas ganhou apenas 1, e ficou furioso.

Diego disse que o jovem saiu andando e sem dor, e estava apto para trabalhar no dia seguinte, mas o pai começou a xingar e o atacou a golpes de capacete. O médico disse que recebeu o golpe no rosto e caiu zonzo, quando o agressor partiu para cima e continuou o ataque brutal.

Recomendados

As agressões pararam quando funcionários da unidade de saúde foram segurar o pai do jovem, que saiu em seguida e desapareceu.  Diego sofreu uma fratura no rosto e um corte profundo na região da bochecha.

Funcionários e a própria vítima viram depois o agressor rondando o hospital de moto, usando um blusão de frio, possivelmente escondendo uma arma, em algumas ocasiões.

LEIA TAMBÉM: Rosangela Moro viralizou com vídeo comendo pastel em feira - mas da forma errada

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) emitiu uma nota cobrando mais segurança dos administradores públicos e repudiando o ataque ao médico.

Desde que foi agredido, Diego está com medo de voltar a atender o plantão no hospital. Ele disse que trabalha no local há dois anos e isso nunca havia acontecido antes.

Pode interessar também:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos