Foco

Soldado russo é preso após estuprar bebê e filmar ato durante guerra na Ucrânia

Outros relatos de abuso sexual durante a guerra vieram à tona.

Soldado russo é preso após estuprar bebê e filmar durante guerra na Ucrânia. (Reprodução)

ANÚNCIO

Neste sábado (9) o jovem de 24 anos, Alexei Bychkov, foi preso na Rússia por estuprar bebê durante a guerra no Leste Europeu. As informações são do portal de notícias UOL e extraídas do IstoÉ.

ANÚNCIO

Após compartilhar vídeo em que realizada o ato, o caso ganhou grandes proporções. O vídeo foi mostrado a um amigo jovem, incialmente.

Não há informações sobre onde e quando foi gravado o vídeo em questão.

Veja mais: Garotinha ucraniana é morta por soldados russos que estavam bêbados

O jovem também é acusado de ter compartilhado outros vídeos de abuso sexual infantil com seus amigos, segundo informações do aplicativo VKontakte, um portal russo de mídia social.

Após as imagens serem analisadas pelas autoridades, caso sejam comprovadas, esse será o crime mais recente de guerra feito por um soldado russo.

Alexei Bychkiv estava integrado à unidade militar presente nos subúrbios da cidade russa de Pskov, próxima à fronteira com a Estônia.

ANÚNCIO

Relatos de sequestro e abusos durante a guerra

No dia 8 de abril, 120 mil crianças tinham sido sequestradas por soldados russos, de acordo com a Comissária Parlamentar de Direitos Humanos da Ucrânia, Ludymila Densova.

Algumas destas crianças sequestradas foram estupradas por soldados russos, enquanto outras teriam sido contrabandeadas pela fronteira com a Rússia.

Segundo a Comissária, um menino de 11 anos e uma garota de 14 foram abusados sexualmente por soldados russos na cidade de Bucha. A menina chegou até mesmo a engravidar.

Outro relato envolve uma adolescente de 16 anos e uma mulher de 78, que segundo o oficial ucraniano Oleksandr Vilkul, as duas também foram vítimas de abuso sexual.

“Há notícias que fazem meu sangue gelar nas veias. Ao reconstruir uma vida pacífica nas aldeias libertadas na região de Kherson, uma tarefa em que estamos trabalhando atualmente, somos confrontados com mais e mais histórias de horror. Por exemplo, o estupro de uma menina grávida de 16 anos e uma avó de 78 anos em uma das aldeias em direção a Ingulets”, relatou Oleksandr em um vídeo publicado em rede social.

ANÚNCIO

Recomendado:

Tags


Últimas Notícias