Foco

Governador de NY renuncia ao cargo

Governador de Nova York, o democrata Andrew Cuomo informou ontem que está “se afastando” do cargo. O anúncio do político acontece após uma investigação, liderada pela procuradora-geral de Nova York, Letitia James, concluir que ele assediou sexualmente 11 mulheres. Entre as vítimas estão funcionárias e ex-funcionárias do governo. 

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Em discurso, além de continuar classificando a investigação como “politicamente motivada” e “injusta”, Cuomo afirmou que a renúncia vem para poupar os nova-iorquinos de que o governo acabe sendo “consumido” pelas investigações e controvérsias jurídicas. 

“Sou um nova-iorquino, nascido e criado. Sou um lutador e meu instinto é lutar contra essa polêmica porque realmente acredito que é politicamente motivada, acredito que é injusta e não é verdadeira e acredito que demoniza o comportamento. Isso é insustentável para a sociedade”, disse Cuomo.

“Essa situação pela sua atual trajetória vai gerar meses de polêmica política e jurídica. É isso que vai acontecer. É assim que sopra o vento político. Vai consumir o governo e vai custar milhões de dólares aos contribuintes”, completou.

Agora, o governo de Nova York passará por um período de 14 dias de transição, quando Cuomo oficialmente deixará o cargo. Quem assume é a vice, também democrata, Kathy Hochul, de 62 anos, que se tornará a primeira governadora mulher de Nova York. 

Nascida em Buffalo, cidade no interior do estado, Kathy chamou atenção na política após vencer uma eleição especial dentro da Câmara dos EUA em 2011. Na época, ela conquistou o 26º distrito congressional do estado, que era antes majoritariamente liderado por representantes da oposição, os republicanos. 

Ativista pelos direitos das mulheres, Kathy pressiona por uma lei estadual que defende a licença familiar paga e liderou a iniciativa “Enough is Enough” (em português, algo como “já basta”) que combatia a agressão sexual dentro das universidades. Ela também tem trabalhos que buscam aumentar o salário mínimo de Nova York para US$ 15 a hora (R$ 77,99).

Em página de rede social, Kathy defendeu a decisão do companheiro de chapa. “É a coisa certa a fazer e no melhor interesse dos nova-iorquinos. Como alguém que serviu em todos os níveis de governo e é o próximo nome na linha de sucessão, estou preparada para liderar como a 57º governadora do estado de Nova York.”

Enquanto isso, dois dos escritórios que investigam possíveis ações criminais de Cuomo afirmaram ontem que continuarão trabalhando no inquérito mesmo após a renúncia dele.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos