logo

A Prefeitura de São Paulo deu início na segunda (5) aos testes sorológicos que vão determinar a incidência da covid-19 nos professores e demais funcionários que trabalham nas escolas municipais.

Os exames serão realizados até quinta-feira (8) em diversos CEUs da capital e os seus resultados poderão influenciar na retomada das aulas presenciais, previstas para ocorrer no próximo dia 12.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Isso porque o texto do decreto da prefeitura que fixou a data traz a ressalva de que a decisão pode ser revista se houver o agravamento da pandemia. O documento também diz que o prazo deve ser alterado se o governo do estado decidir, mais uma vez, prorrogar a fase emergencial da quarentena – programada para ser encerrada nesse domingo.

Apesar de autorizadas pelo estado, as aulas presenciais estão suspensas desde 17 de março na capital, por ordem da prefeitura, em função do avanço da covid-19.

Os estudantes das redes estadual e privada estão com aulas regulares na cidade, mas só de forma remota. Já os alunos da rede municipal estão sem aulas porque a prefeitura decidiu antecipar os recessos – e “queimá-los” agora enquanto as escolas estão fechadas.

Muita fila e pouca senha

No primeiro dia de realização dos testes sorológicos, os professores enfrentaram dificuldades de atendimento nos CEUs.

O Sindsep (Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo) disse ter recebido diversas queixas de longas filas de espera e também sobre o número reduzido de senhas, que em alguns postos acabaram em poucas horas, ainda com muita gente aguardando para fazer os exames.

A prefeitura disse que vai reforçar as equipes de atendimento e que as filas podem ter se formado por conta da “alta expectativa” dos profissionais para realização dos testes.