Bolsonaro 'não engole' liminar do STF e vai recorrer por Ramagem na PF

Por Metro World News

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nessa quinta-feira (30), que “não engoliu” a liminar que barrou a nomeação de Alexandre Ramagem para a direção-geral da Polícia Federal. Ele acusa o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), de fazer política em sua decisão.

O delegado Alexandre Ramagem é amigo de Jair Bolsonaro e de seus filhos, e foi colocado como chefe da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) pela gestão atual. O STF barrou a sua nomeação para a Polícia Federal ao acatar uma ação que acusava o presidente de interferência política no órgão.

"Se não pode estar na PF, não pode estar na Abin também. No meu entender, uma decisão política, política. E ontem (quarta) comecei pronunciamento falando da Constituição. Eu respeito a Constituição e tudo tem um limite", afirmou o presidente. “Eu não engoli ainda essa decisão do senhor Alexandre de Moraes. Não engoli. Não é essa a forma de tratar um chefe do Executivo.”

Veja também:
436 milhões de empresas podem fechar, estima OIT
Teste rápido ajuda a mapear a covid-19, mas exige cautela

Bolsonaro questionou ainda a nomeação de Moraes no STF, afirmando que ele só se tornou ministro pela amizade com o ex-presidente Michel Temer. O presidente disse que irá recorrer da decisão, contrariando o posicionamento anterior de sua equipe, que não iria questionar a liminar. Ele também está estudando um novo nome para o cargo.

A polêmica sobre a troca na direção-geral da Polícia Federal teve início na semana passada, quando o ex-juiz Sergio Moro deixou o Ministério da Justiça e Segurança Pública. A saída, segundo Moro, ocorreu porque Bolsonaro queria colocar uma pessoa de confiança no órgão – acusando de querer informações sobre investigações em andamento. O presidente negou e afirmou que a nomeação é sua responsabilidade.

No fim, Bolsonaro questionou a coerência de Alexandre de Moraes, dizendo que aguarda uma “canetada” para tirar Alexandre Ramagem da Abin. “Agora, eu pergunto ao senhor Alexandre de Moraes: o senhor vai tirar o Ramagem da Abin? É tão importante quanto o diretor-geral da Polícia Federal. Se ele não pode ir para a PF, ele não pode ficar na Abin. Senhor Alexandre de Moraes, aguardo de vossa excelência uma canetada para tirar o Ramagem da Agência Brasileira de Inteligência. Para ser coerente.”

Loading...
Revisa el siguiente artículo