Foco

Veja como foram os desfiles da primeira noite no Rio de Janeiro

A primeira noite dos desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro começou com a Estácio de Sá, que abriu a folia de domingo (7) com um enredo sobre São Jorge. Com um desfile correto, o ponto alto da agremiação, que vem do grupo de Acesso, foi o uso de bonecos gigantes que estavam por toda a Sapucaí.

Na sequência, quem desfilou pelo Sambódromo foi a União da Ilha, que trouxe alegorias e fantasias divertidas para falar dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A escola escolheu abordar o tema contando uma fábula, em que deuses visitavam a cidade, mas não empolgou muito o público.
A terceira escola a entrar na Avenida foi a Beija-Flor, que falou justamente sobre o Marquês de Sapucaí, cujo nome dá o nome à Passarela do Samba carioca. Para contar a história do nobre, a agremiação usou muito dourado e fez um desfile vibrante, no qual dois carros alegóricos apresentaram problemas, mas não atrapalharam a empolgação.

Leia mais:
Beija-Flor e Tijuca sobram em dia de desfiles irregulares na Sapucaí
Presidente da Beija-Flor confirma possibilidade de ter Ronaldo como enredo
Vencer samba-enredo não sai por menos de R$ 60 mil, diz Dudu Nobre

Já a Grande Rio, que veio em seguida, exaltou Santos, no litoral paulista, dando bastante destaque ao futebol da cidade. Pelé e Neymar, os grandes homenageados, não estiveram presentes, mas a história do Rei do Futebol virou uma magnífica comissão de frente, na qual uma bola gigante de futebol era inflada para que um bailarino caminhasse sobre a estrutura, que depois desaparecia.

A quinta escola a passar pelo Sambódromo foi a Mocidade Independente de Padre Miguel, que usou a figura de Dom Quixote para falar de corrupção no Brasil. Com alegorias inteligentes, nas quais a presença dos moinhos que atormentavam o Cavaleiro da triste Figura foram uma constante, a escola lembrou do escândalo da Petrobras e outros problemas que assolam o país, sempre usando referências tropicais como abacaxis e índios.

A Unidos da Tijuca foi a última a desfilar, com um enredo sobre as riquezas do solo brasileiro e a agricultura. Um dos pontos fortes da escola foi o carro alegórico que representava uma colhedeira gigante, que engolia integrantes vestidos de milho. Compacta, fazendo um verdadeiro tapete colorido, a agremiação evoluiu com muita empolgação para fechar a primeira noite dos desfiles do Grupo Especial do Rio.

[metrogallerymaker id=»919″]

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos