Foco

Príncipe Charles aperta mão de homem que matou seu tio-avô

Segurando uma xícara, príncipe Charles cumprimenta Gerry Adams, líder do Sinn Fein | Brian Lawless/Reuters

O príncipe Charles, do Reino Unido, encontrou-se nesta terça-feira com Gerry Adams na Irlanda do Norte, seu primeiro com o líder do Sinn Fein, antigo braço político do IRA (Irish Republican Army), que matou seu tio-avô, lorde Louis Mountbatten, em um ataque a bomba em 1979. Também foi a primeira conversa de Adams com um membro da família real. O encontro privado, o mais recente em uma série de gestos de reconciliação entre a Grã-Bretanha e o Sinn Fein, aconteceu em Galway.

A reunião foi solicitada por Adams, como “um sinal de paz e reconciliação”. Ele foi incorporado à lista de convidados na recepção na Universidade Nacional de Galway junto com Martin McGuinness, vice-premier da Irlanda do Norte. Após o aperto de mãos, Adams, McGuinness e Charles tiveram uma reunião a portas fechadas que durou aproximadamente 20 minutos.

IRA

O IRA foi um grupo paramilitar formado na década de 1920 que pretendia separar a Irlanda do Norte do Reino Unido (formado por Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte).

Em 2005, o IRA anunciou o fim da “luta armada” e entregou as armas. Mais de 3.500 pessoas morreram durante os anos em que o grupo organizou atentados no Reino Unido. Hoje, pequenos grupos ainda continuam ataques esporádicos contra alvos britânicos.

Por isso, a segurança foi reforçada para a visita de Charles.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos