Foco

Bruno deve pedir aproximação com filho se paternidade for confirmada

Bruno foi condenado a mais de 22 anos de prisão por ser o mandante da morte de modelo | Alex de Jesus Tempo/Folhapress
Bruno foi condenado a mais de 22 anos de prisão por ser o mandante da morte de modelo | Alex de Jesus Tempo/Folhapress

A defesa do ex-goleiro Bruno Fernandes deve reivindicar maior convivência com o filho da modelo Eliza Samúdio caso fique comprovado em um exame de DNA que ele é o pai da criança.

O ex-goleiro Bruno Fernandes, condenado a mais de 22 anos de prisão por ser o mandante da morte da modelo Eliza Samúdio, quer exame de DNA para confirmar a paternidade de Bruninho. A defesa promete protocolar o pedido até a próxima segunda-feira na Vara da Família do Rio de Janeiro.

Veja também:
Goleiro Bruno deve pedir DNA para confirmar paternidade

Em 2012, o jogador afirmou durante interrogatório ser o pai da criança, mas a defesa quer anular a decisão que reconheceu a paternidade do filho de Eliza Samúdio já que ele não pode produzir provas contra si mesmo em juízo. Segundo o advogado de Bruno, Francisco Simim, o processo criminal correu sem a prova genética, que é uma vontade antiga do ex-goleiro.

O advogado de defesa ainda explicou que o atual cenário não deve mudar caso seja revelado que Bruninho não é filho do atleta e que Bruno quer apenas a verdade.

Já se ficar comprovado que Bruno é o pai biológico do filho de Eliza Samúdio, a defesa garante que vai reivindicar os direitos paternos do jogador, que atualmente não tem contato com a criança.

Após o reconhecimento de paternidade, a Justiça determinou que 17% dos rendimentos de Bruno seguissem para a Bruninho, hoje com 4 anos. O menino vive com a avó materna, Sônia Moura, em uma fazenda no interior do Mato Grosso do Sul.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos