Entretenimento

Billie Eilish sobre ‘Happier than Ever’: ‘este álbum me libertou’

‘Happier Than Ever’. Em novo trabalho, cantora confirma ter se tornado a voz de uma geração por meio de canções que falam de inclusão, liberdade e crítica social


QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.


Aos 19 anos, Billie Eilish é uma milionária famosa com fãs declarados dentro da indústria musical e, com tão pouca idade, já enfrenta o teste do segundo álbum com “Happier Than Ever”, que acaba de sair.
Ela confessa estar nervosa porque experimenta um novo momento, livre de complexos, o que a torna uma mulher mais forte.

A imagem da compositora na capa do disco não mostra sorrisos. Ao contrário: uma lágrima escorrendo pelo rosto de Billie contrasta com o título, que significa “mais feliz que nunca”.

“O nome do álbum reflete minha felicidade de deixar para trás aquela Billie Eilish cheia de medos, tanto física quanto mentalmente. Este álbum de certa forma me liberou e você pode sentir isso nas músicas”, explica.

Quando a repórter menciona que artistas como Elton John, Gene Simmons, do Kiss. Justin Bieber e a banda de k-pop BTS se declararam fãs de sua música, ela se disse surpresa. “É mesmo? Eu me inspirei em muitos artistas mais velhos que cresci amando ouvir, como Frank Sinatra e Peggy Lee. Acho que tenho uma alma velha no corpo de uma jovem mulher.”

Billie enfrentou a fama com pouca idade, mas se houve algo que ela mostrou é que não é dada a excessos e prefere defender sua privacidade e ter uma vida normal.

“Não é fácil ter estabilidade emocional, mas a terapia me salvou de muitas coisas. Todos deveriam fazer análise, não importa se você se sente feliz, triste ou se sua vida é perfeita e nada está errado. A terapia me trouxe saúde mental porque eu não fico mais guardando as coisas só na minha cabeça”, diz.

Depois do êxito de “When We All Fall Asleep Where Do We Go?”, seu álbum de estreia, ela compara com esse momento de amadurecimento. “Agora me sinto muito mais confiante como cantora e compositora, porque trabalhei muito para chegar até aqui. Este trabalho foi feito numa época criativamente perfeita para mim. As canções são do meu interior”, diz.

No dia 3 de setembro, o Disney+ estreia “Happier Than Ever: A Love Letter to Los Angeles” uma performance íntima de todas as músicas do álbum que aconteceu no Hollywood Bowl.

A turnê mundial de “Happier Than Ever” começa em 18 de setembro em Las Vegas e segue pela América do Norte e Europa até julho de 2022. Sobre se apresentar na América Latina, não há nada confirmado ainda, mas ela diz: “Espero que alguns shows possam ser adicionados no ano que vem”.

Por fim, o Metro perguntou a Billie sobre as coisas que ela não poderia deixar de lado além da fama. “Filmes de terror, minha família, carros esportivos, terapia, humor ácido e a música de Justin Bieber.”

Linha do tempo

2018
Lançamento do primeiro single, “Ocean Eyes”

2019
O primeiro álbum, ‘When We All Fall Asleep, Where Do We Go?’ que a lançou para a fama, ocupou o topo da Billboard 200 nos Estados Unidos e em 17 outros países. Se tornou o álbum mais popular nos streamings naquele ano

2020
Billie abocanha todos os principais Grammy de 2020: artista revelação, gravação do ano, álbum do ano e música do ano. Ela também levou para casa o prêmio de melhor disco de pop do ano, totalizando cinco Grammys

2021
Estreia do documentário “The World’s A Little Blurry”, dirigido por R.J Cutler e lança “Happier Than Ever”, composto por ela e o irmão, Finneas, que também produziu o álbum

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos