Entretenimento

‘Os Caçadores da Arca Perdida’: primeiro filme de Indiana Jones completa 40 anos

Indiana Jones. Neste sábado (12) faz 40 anos que o primeiro filme da franquia criada por George Lucas e Steven Spielberg chegou ao cinema, transformando em herói o arqueólogo bonitão que caçava relíquias e aventuras pelo mundo

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

A cena foi prosaica e, talvez por isso mesmo, os deuses das bilheterias abençoaram: George Lucas e Steven Spielberg estavam construindo um castelo de areia no Havaí antes da estreia do primeiro “Star Wars” (1977) quando o criador de “E.T” confessou que sempre quis dirigir um dos filmes de 007.

“Bobagem”, respondeu Lucas, que tinha ideia muito melhor, uma aventura que já tinha nome: “Os Caçadores da Arca Perdida”. Demorou um pouco para o projeto sair do papel porque os estúdios não deram bola para a história criativa, mas considerada cara (US$ 20 milhões) e com pouco potencial de retorno. A Paramount topou e, com o roteiro desenvolvido por Lawrence Kasdan e o charme de Harrison Ford, nascia Indiana Jones, o arqueólogo meio nerd, meio galã, que completa 40 anos neste sábado (12), data em que chegou aos cinemas nos Estados Unidos.

Ambientado nos anos 1930, opôs o herói aos nazistas e acabou ditando os moldes do cinema de aventura que se seguiram naquela década e ainda rendendo uma franquia que acompanha Harrison Ford até a velhice (veja ao lado).

Do professor universitário de óculos e paletó, Indy se transformava em aventureiro de primeira ordem quando ia escavar relíquias sagradas escondidas em algum canto do mundo. Seu uniforme de herói, em vez de capa e máscara, era composto por chapéu Fedora, jaqueta de couro e, claro, chicote.

De aspirante de James Bond, como desejou Spielberg no começo, Jones ganhou uma persona muito mais carismática do que a do agente britânico – e igualmente popular entre as mulheres. Do tipo que mostra mais vulnerabilidades: de chiliques provocados por medo de répteis a surras homéricas, tudo com um quê meio clown.

Deu muito certo. De saída, “Os Caçadores da Arca Perdida” foi indicado ao Oscar de melhor filme e arrebatou o posto de melhor bilheteria de 1981.

Divulgação

Arca perdida, ícone encontrado

  1. Se no filme a tal da Arca da Aliança é localizada, não se sabe seu paradeiro real. Na Bíblia, relatos dizem que foi construída a mando de Moisés no século 13 a.C. para guardar as tábuas dos Dez Mandamentos e foram depositadas no Templo de Jerusalém
  2. O nome do personagem foi escolhido em homenagem ao cachorro de Marcia Lucas, mulher de George Lucas à época!
  3. George Lucas NÃO queria que Harrison Ford fosse Indiana. Como eles haviam trabalhado juntos em “American Graffiti” (1973) e “Star Wars”, ele não queria ter uma relação semelhante à de Robert De Niro e Martin Scorsese, que colaboraram em inúmeros filmes…
  4. … então, estava tudo certo para que Tom Selleck, de “Magnum”, assumisse o chapéu e o chicote. Mas compromissos com a série atrapalharam Selleck. Ford foi chamado. O resto é história
  5. Os trechos ambientados no Cairo foram filmados na Tunísia, onde todo o elenco e equipe caíram de cama com intoxicação alimentar. A exceção foi Spielberg, que levou um carregamento de comida enlatada da Inglaterra
  6. Por isso, sofrendo com dor de barriga, Harrison sugeriu encurtar uma cena de luta em que um espadachim o chama para briga. Inicialmente, ele roubaria a espada com o chicote e então finalizaria o inimigo. Mas ele só saca a arma e acaba com a história. Acabou sendo uma das sequências mais engraçadas
  7. A cena no Poço das Almas, quando Indy localiza a Arca da Aliança, contou com 7 mil répteis (entre cobras e lagartos). Os únicos animais peçonhentos eram as najas
  8. A roteirista Melissa Mathison, que era casada com Harrison Ford à época, foi visitar as filmagens e Spielberg contou-lhe uma ideia. Era o começo de “E.T. – O Extraterrestre” (1982)
  9. A famosa trilha escrita por John Williams é a reunião de dois temas, já que Spielberg amou as que o compositor sugeriu. “Raiders March”, a versão que aparece no filme, foi tocada pela London Symphony Ochestra

Os demais filmes

“Indiana Jones e o Templo da Perdição” (1984)
O segundo filme foi ambientado anteriormente aos eventos de “Caçadores da Arca Perdida”. Aqui, Jones está na Índia e tem como missão recuperar uma pedra roubada por um feiticeiro

“Indiana Jones e a Última Cruzada” (1989)
River Phoenix interpreta a versão jovem de Indy e, Sean Connery, seu pai, que foi sequestrado. A aventura é resgatar o patriarca e, de quebra, encontrar o Santo Graal

“Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” (2008)
Com um grande salto no tempo, conhecemos Indy já envelhecido durante a Guerra Fria, em busca de um artefato místico que também está sendo disputado pelos soviéticos

“Indiana Jones 5” (2022)
Começou a ser rodado neste mês e, pela primeira vez, não tem Spielberg na direção, que ficou com James Mangold. Além de Harrison Ford, que terá completado 80 anos na estreia, o elenco tem Mads Mikkelsen (foto) e Phoebe Waller Bridge

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos